Fechar
Domingo, 28 de fevereiro de 2021
Domingo, 28 de fevereiro de 2021
Eleições 27/11/2020

28% acham que a contagem de votos no Brasil não é segura

Outros 64% têm confiança no processo, aponta levantamento do PoderData

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
28% acham que a contagem de votos no Brasil não é segura

Pesquisa PoderData realizada de 2ª a 4ª feira (23 a 25.nov.2020) indica que 28% da população brasileira acha que a contagem de votos no Brasil não é segura. Outros 64% têm confiança no processo, e 8% não souberam responder. (As informações são do site Poder360)

Discussões sobre a segurança das urnas ficaram ainda mais frequentes depois de problema técnico atrasar a divulgação de resultados no 1º turno das eleições municipais de 2020, em 15 de novembro.

Grupos levantaram hashtags nas redes e usaram a diferença dos resultados com os percentuais apontados por pesquisas eleitorais para justificar uma possível fraude nas urnas. A tese, no entanto, não se sustenta, de acordo com verificação feita pelo Projeto Comprova.

A pesquisa sobre a percepção dos brasileiros sobre o sistema eleitoral foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Dados coletados

Os dados foram coletados de 23 a 25 de novembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 479 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

O estudo destacou, também, os recortes para as respostas à pergunta sobre a percepção dos brasileiros em relação a contagem dos votos.

Os mais velhos, com 60 anos ou mais, os moradores da região Norte e os que ganham mais de 10 salários mínimos são os que mais, proporcionalmente, confiam no processo.

Já os que têm de 45 a 59 anos, os moradores da região Nordeste e os que recebem de 2 a 5 salários mínimos são os que mais têm desconfianças sobre a contagem.

Processo seguro

Até agora, nenhuma fraude concreta foi descoberta no uso das urnas eletrônicas. Testes públicos de segurança foram realizados de 2009 a 2012, e nenhuma tentativa de adulteração dos sistemas ou dos resultados obteve sucesso.

Um dos procedimentos de segurança que pode ser acompanhado pelo eleitor é a Cerimônia de Votação Paralela. Na véspera da eleição, em audiência pública, são sorteadas urnas para verificação.

Outro mecanismo bastante simples de verificação é a conferência do boletim de urna. Ao final da votação, o boletim com a apuração dos votos de uma seção transforma-se em documento público. Os resultados podem ser facilmente confrontados com aqueles publicados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na internet, seja pela conferência do resultado de cada seção eleitoral, seja pela conferência do resultado da totalização final.

Foto: NSC Total