Fechar
Sábado, 01 de outubro de 2022
Sábado, 01 de outubro de 2022
Ponta Grossa 10/06/2022

IPTU 2022 registra 27% de inadimplência em junho

Tributo arrecada R$ 45 milhões no pagamento à vista e nas três primeiras parcelas em Ponta Grossa

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
IPTU 2022 registra 27% de inadimplência em junho

Cerca de 110 mil contribuintes já pagaram aproximadamente R$ 72 milhões, até o momento. A inadimplência está próxima de 27%. Os números são resultado do balanço do IPTU após a quitação à vista com desconto de 15% no tributo que teve vencimento no dia 29 de abril, juntamente com o vencimento das três primeiras parcelas do tributo, apresentado pela Prefeitura de Ponta Grossa.

De acordo com o secretário municipal da Fazenda, Cláudio Grokoviski, para 2022, o tributo foi lançado para mais de 175 mil cadastros, aproximadamente 10 mil a mais que no ano anterior. “O valor total lançado para este ano, considerando IPTU e taxa da coleta de lixo é de R$ 158 milhões, R$ 16 milhões a mais que em 2021. Este ano não houve aumento no IPTU e taxa de coleta de lixo, foi feita apenas a reposição da inflação”, comenta.

Quase 51 mil contribuintes fizeram o pagamento do tributo por cota única, o que resultou em um valor aproximado de R$ 55,4 milhões. “De imposto, foi arrecadado pouco mais de R$ 35 milhões à vista, pois R$ 19,5 milhões se referem à coleta de lixo, enquanto R$ 525 mil serão destinados como Contribuição de Iluminação Pública”, explica Grokoviski. 

Outros 59 mil contribuintes optaram em fazer o pagamento de forma parcelada. De acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda em relação ao pagamento das três primeiras parcelas foi quitado, até o momento, quase R$ 17 milhões, em que mais de R$ 10 milhões são de tributo municipal, quase R$ 7 milhões são de taxa de lixo e pouco mais de R$ 130 mil são de Contribuição de Iluminação Pública.

Grokoviski relata que quase 110 mil contribuintes já pagaram cerca de R$ 72 milhões até o momento.  “Destes recursos, mais de R$ 45 milhões são tributos, quase R$ 26 milhões serão destinados para taxa de coleta de lixo e cerca de R$ 655 mil para a Contribuição de Iluminação Pública”, disse o secretário que explica também que para o mês de maio, o índice de inadimplência está em 27%. “Isto representa aproximadamente R$ 13 milhões que poderiam estar sendo utilizados pelo Município nas despesas públicas”, lamenta.

“O IPTU é uma das principais receitas da administração municipal e possibilita investimentos na saúde, na educação e segurança, como também para melhorar a infraestrutura da cidade, com a pavimentação de ruas, por exemplo. Em virtude disso, pedimos para que os munícipes continuem adimplentes, pois contribuem com a Prefeitura para manter obras e serviços em andamento, lembrando ainda que Ponta Grossa possui um dos menores valores de IPTU das grandes cidades do Estado, face uma defasagem nos Valor Venal dos terrenos que já duram 24 anos sem correção”, finaliza Grokoviski. (Com assessoria)