Fechar
Terça, 03 de agosto de 2021
Terça, 03 de agosto de 2021
Ponta Grossa 11/06/2021

Pesquisa detalha cenário econômico em Ponta Grossa e Paraná

Levantamento da Fecomércio mostra dados sobre aumento de vendas, endividamento de famílias e expectativa para o Dia dos Namorados

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Pesquisa detalha cenário econômico em Ponta Grossa e Paraná

Um levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) traça um cenário da economia em Ponta Grossa e no Estado, trazendo dados a respeito do volume de vendas nos três primeiros meses deste ano, além de informar o endividamento das famílias.

Com a proximidade do Dia dos Namorados, a pesquisa também quis saber dos entrevistados sobre suas intenções de compras na data comemorativa. A análise da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) aponta que os números já indicam alguns cenários e tendências para a economia no município para os próximos meses.

De acordo com a pesquisa, se verificou uma evolução de vendas nos três primeiros meses de 2021. O levantamento aponta que o varejo do estado teve aumento de 6,22% no primeiro trimestre do ano em relação ao mesmo período de 2020.

Em Ponta Grossa, no acumulado dos três primeiros meses houve alta de 0,75% nas vendas em relação ao mesmo período de 2020. O setor de autopeças teve crescimento de 34,97% no município. Material de construção (10,05%) e “óticas, cine-som-foto” (7,48%) foram outros setores com aumento de vendas no primeiro trimestre. Já o setor de papelarias e livrarias registrou a maior queda, com redução de 41,11%. Vestuário e Tecidos (-30,15%) e lojas de departamentos (-19,35%) também apresentaram redução nas vendas.

O percentual de endividados no estado caiu de 90,2% em abril para 89,2% em maio. Já o indicador brasileiro passou de 67,5% para 68,0% no mês passado. Apesar da redução no endividamento, a parcela de famílias paranaenses com contas em atraso aumentou de 25,9% para 26,6% na variação mensal, enquanto 11,1% não terão condições de pagar suas dívidas, situação semelhante à registrada nos últimos três meses.

Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados promete movimentar as vendas do comércio nesta semana. Segundo a sondagem da Fecomércio PR, 58,1% dos paranaenses pretendem presentear alguém no próximo dia 12 de junho. 

O estudo da Fecomércio PR mostra que o local preferido para comprar o presente do Dia dos Namorados é o comércio de rua, com 44,7%, somando as lojas do centro da cidade (38,2%) e lojas de bairro (6,5%). As lojas de shoppings devem ser a opção de 18,9%, dentro do possível. Já as compras pela internet serão a escolha de 21,8% dos consumidores, percentual abaixo dos 27,0% registrados no ano passado.

A qualidade do produto é o que mais influencia na decisão da compra do presente, com 46,9% e só depois, com 13,8%, vem o preço baixo.

Análise

De acordo com Weliton Barreiros, CEO da Winner e Diretor de Comércio Exterior da ACIPG, “o gráfico da evolução de vendas no Paraná se mantém em linha com a situação geral da economia do país, mostrando a recuperação geral da economia, incluindo o varejo, mostrando a tendência de elevação. Na comparação de janeiro a março de 2021 com o mesmo período de 2020, é importante observar os outliers, ou seja, pontos discrepantes em relação à média geral, em especial na nossa cidade. Observe que autopeças tem uma média geral de crescimento no estado de 12,85%, mas Ponta Grossa cresceu expressivos quase 35% (34,97%), ou seja quase três vezes mais que a média estadual”.

Os números da pesquisa ainda indicam reflexos que a pandemia impôs a alguns setores que verificaram quedas expressivas nas vendas.

“Confirma-se a percepção que o varejo físico sofre ainda bastante os efeitos das medidas restritivas de funcionamento e circulação, com as quedas fortes nos setores de lojas de departamentos, livraria e papelaria, vestuário e tecidos e calçados. Além das restrições de funcionamento e circulação, houve a substituição por compras pela internet e aprimoramento de atendimento por canais digitais de empresas “não tradicionais” e os novos entrantes do tipo marketplaces”, explica Barreiros.

Rafael Zanim, Diretor de Fomento e Estudos Socioeconômicos da ACIPG, comenta que os números a respeito do Dia dos Namorados trazem boas perspectivas para o comércio local, e cita a importância de se montar estratégias de campanhas de vendas para se obter melhores resultados.

“Um ponto importante para os setores de calçados, confecções é avaliar estrategicamente as ações de vendas de cada uma das próximas datas comemorativas, por exemplo o Dia dos Namorados. De acordo com a pesquisa DataCenso, os principais presentes que os consumidores paranaenses pretendem comprar para o Dia dos Namorados são: roupas (34%), seguido de perfume/cosméticos (23$%), almoço/jantar (19%), chocolates (18%), flores (16%) e calçados (14%). Analisando por gênero, o percentual de roupas e calçados é maior no feminino, e de flores e joias no masculino. Os consumidores paranaenses continuam cautelosos, tem que manter contato frequente com eles e acelerar o processo de vendas. Conseguir entender a jornada do seu consumidor facilita muito no desempenho dos times de vendas e consequentemente na atuação da empresa no mercado”.

O gerente institucional da ACIPG, Gilmar Denck, lembra que a divulgação e análise de pesquisas, que devem ser mensais, podem ser uma importante ferramenta à disposição do empresário para melhorar seus negócios.

“Os números mostram a necessidade latente dos empresários se organizarem em núcleos, em buscar a associação. Porque mais do que nunca eles precisam rever seus conceitos empresariais e de comércio, e principalmente ter acesso a informações valiosas como essas que estão sendo mostradas agora e que a ACIPG lança, e que pretendem ser mensais, mostrando qual o posicionamento de cada setor, cada segmento e como o empresário deve se portar frente a isso. Então, a importância do associativismo em um plano de recuperação é fundamental. A ACIPG está de portas abertas, está reestruturando seu programa Associar. Que os empresários procurem a ACIPG e venham buscar ferramentas para seu desenvolvimento”. (Com assessoria)