Fechar
Sábado, 12 de junho de 2021
Sábado, 12 de junho de 2021
Política 13/05/2021

Stocco solicita que PG implemente piso da Enfermagem

Parlamentar enviou ofício à prefeita solicitando que o piso seja implementado em Ponta Grossa, independente do encaminhamento do PL que trata do tema no Senado

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Stocco solicita que PG implemente piso da Enfermagem

O vereador Geraldo Stocco (PSB) enviou um ofício à prefeita de Ponta Grossa, Professora Elizabeth Schmidt (PSD), solicitando a implementação do piso da Enfermagem no sistema público de saúde da cidade. Stocco sugere que, independente do andar do projeto de lei que trata do tema em Brasília, a Prefeitura já inicie os procedimentos e estudos financeiros para implementar o piso. 

No documento, Stocco lembra que os profissionais da Enfermagem (enfermeiros(as), técnicos(as) de enfermagem e auxiliares de enfermagem) são fundamentais para o sistema de saúde. "Temos notado no período de pandemia a importância destes profissionais. Precisamos valorizar quem atua na Enfermagem com o pagamento do piso e para isso é preciso começar os estudos e a preparação orçamentária", destaca Stocco.

O pagamento do piso para os profissionais do setor é alvo do projeto de lei (PL) 2.564/2020 que tramita no Senado Federal. A iniciativa institui o piso salarial nacional para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras. O projeto fixa o piso em R$ 7.315 para enfermeiros. As demais categorias terão o piso proporcional a esse valor: 70% (R$ 5.120) para os técnicos de enfermagem e 50% (R$3.657) para os auxiliares de enfermagem e as parteiras. 

O ofício de Stocco ressalta ainda que o papel desempenhado pelos profissionais da Enfermagem no atendimento de saúde é "vital". "Quem conhece a rotina de um hospital sabe dos riscos que esses profissionais correm e da importância que eles têm para o funcionamento do local. Iniciarmos a apreciação do estudo para pagar o piso é o mínimo que podemos fazer neste momento", lembra Stocco.

O vereador também enviou cópias do ofício ao secretário de Saúde, Rodrigo Manjabosco, e ao secretário de Fazenda, Claudio Grokoviski. (Com assessoria)