Fechar
Domingo, 18 de abril de 2021
Domingo, 18 de abril de 2021
Política 06/04/2021

Presidente da Câmara defende que Prefeitura notifique VCG para pagar funcionários

Daniel Milla (PSD) afirma que concessionária não está cumprindo com obrigação de manter em dia os salários dos empregados e entende que a Prefeitura deve notificá-la, com possível rompimento do contrato e encampação do serviço

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Presidente da Câmara defende que Prefeitura notifique VCG para pagar funcionários

O presidente da Câmara de Ponta Grossa, vereador Daniel Milla (PSD), defendeu nesta terça-feira (6) que a Prefeitura notifique a concessionária do transporte coletivo, Viação Campos Gerais (VCG), com a determinação de um prazo para que a empresa arque com o pagamento dos salários dos funcionários.

Em caso de não pagamento, Milla entende que a Prefeitura deve considerar a possibilidade de solicitar o rompimento do contrato judicialmente e encampar o serviço até que uma nova licitação seja feita. O Atual contrato foi firmado no Governo Péricles, em 2002, e renovado ao final do Governo Wosgrau, em 2012, vencendo em 2022.

Os cerca de 1.100 empregados da VCG estão em greve por não terem recebido a segunda parcela do salário de fevereiro, que deveria ter sido quitada em 25 de março.

Amanhã (7), a empresa terá que pagar a primeira parcela dos salários de março. Porém, já comunicou que não conseguirá cumprir com a obrigação por falta de dinheiro em caixa. A VCG alega ter um prejuízo acumulado de R$ 50 milhões no período da pandemia.

Entretanto, para o presidente da Câmara, não há transparência no caixa da empresa e nem dados que confirmem essa afirmação. "Existe um gasto nos dados passados pela empresa no valor de R$ 330 mil, denominada de despesas gerais, que ninguém sabe do que se trata. Nós solicitamos essa informação via ofício, mas a empresa alega que existe uma lei que a desobriga a mostrar os documentos", disse Milla.

O parlamentar criticou a postura da empresa em exigir subsídio da Prefeitura para arcar com suas obrigações. Milla lembra que muitas empresas estão passando por um momento difícil em razão da pandemia, mas que estão cumprindo com as obrigações junto aos funcionários. "Não se pode retirar dinheiro público para colocar em empresa privada", afirma.

Está agendada para às 17h desta terça-feira uma audiência virtual da Justiça do Trabalho para tentar solucionar o pagamento dos funcionários e o fim da greve, com a participação da empresa, do sindicato da categoria e da Prefeitura.