Fechar
Sábado, 01 de outubro de 2022
Sábado, 01 de outubro de 2022
Ponta Grossa 26/03/2021

Transporte coletivo vive impasse em meio ao novo decreto em PG

Viação Campos Gerais cobra subsídio da Prefeitura para pagar funcionários; Executivo afirma que recursos são prioritários para enfrentamento da Covid-19 neste momento

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Transporte coletivo vive impasse em meio ao novo decreto em PG

Horas depois que foi publicado pela Prefeitura de Ponta Grossa novo decreto com restrições para enfrentamento à pandemia do Covid-19, que, entre outras medidas, suspende por mais sete dias o funcionamento do transporte coletivo no Município, a partir de segunda-feira (29), a concessionária do serviço emitiu uma nota em que cobra do Executivo injeção de dinheiro público para o pagamento dos funcionários da empresa.

Em resposta, via assessoria de comunicação, o governo municipal informou que o pagamento dos funcionários é uma questão que cabe exclusivamente à concessionário e seus colaboradores, sendo inviável destinar recursos municipais para esta finalidade em um momento em que todos os esforços estão concentrados no enfrentamento ao novo coronavírus na cidade.

Leia as duas notas na íntegra a seguir:

 

Nota da VCG

Em virtude da prorrogação da edição de decreto municipal no dia de hoje, que prevê a interrupção do sistema de transporte coletivo até o dia 11/04, reiteramos nossa manifestação de consternação com a situação que tem sido imposta pelo Poder Público. Não apenas em relação a situação da empresa, mas, em especial, com a situação pessoal de nossos colaboradores em razão do atraso no pagamento.

É uma situação extremamente grave, dramática às pessoas envolvidas, mas que lutamos fortemente nos últimos 12 meses para que não ocorresse.

Afinal, o transporte coletivo é um direito fundamental dos munícipes e de responsabilidade direta do Município, cabendo à Concessionária executá-lo conforme lhe é determinado. E no momento, uma vez que paralisado por determinação municipal, é obrigação da Prefeitura custear a estrutura da Concessionária que se encontra à sua exclusiva disposição.

Isso significa dizer que o Município deve assumir suas responsabilidades, e manter um mínimo de equilíbrio na relação contratual.

Sem a receita diária, ou solução advinda do Poder Concedente, a empresa não terá condições de fazer frente às suas obrigações com seus colaboradores. Nem as já vencidas, nem as que estão por vencer.

É um momento difícil aos colaboradores, que tanto se dedicam para executar bem este serviço essencial à população, e que o executam com extrema eficiência, mas que neste momento estão sendo completamente ignorados pelo Município, responsável pelo colapso do sistema.

Manteremos nossa luta por respostas do Poder Concedente, à medida em que desde março de 2020 temos sistematicamente informado a ele a situação enfrentada e nenhuma resposta efetiva fora dada até o momento.

Não percam a esperança de voltarmos a operar, não percam a esperança de voltarmos a trabalhar todos juntos em breve, acreditem que somos muito mais fortes do que imaginamos e que temos todos juntos, empresa e colaboradores, responsabilidades também para com nossos co-cidadãos que jamais nos furtaremos.

 

Nota da Prefeitura

A Prefeitura de Ponta Grossa informa que está acompanhando a situação e ressalta que o pagamento dos funcionários se trata de uma questão exclusiva entre Concessionária e Colaboradores. Além disso, o Município reforça que, neste momento, não há previsão de nenhum tipo de subsídio à empresa, visto que os recursos financeiros estão sendo destinados prioritariamente para o enfrentamento da pandemia do Coronavírus.