Fechar
Segunda, 18 de janeiro de 2021
Segunda, 18 de janeiro de 2021
Ponta Grossa 04/01/2021

Bruno Costa destaca avanços à frente da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ex-secretário faz um balanço da gestão ao longo dos últimos anos

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Bruno Costa destaca avanços à frente da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Em Ponta Grossa, de acordo com os dados mais atuais do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), 73% das propriedades rurais do município possuem até 48 hectares de terra, sendo marcadas pela prática da agricultura familiar. É essa mesma população que utiliza produções diversas para a venda se seus produtos nas feiras livres, bem como outros canais de comercialização, como forma de obtenção de renda.

Para fomentar a agricultura da cidade, a Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA), desenvolveu nos últimos anos políticas públicas e ações para beneficiar o agricultor familiar. À frente da SMAPA desde 2019, o secretário Bruno Costa deixa o comando da pasta no fim deste mês de dezembro com conquistas para o Município.

“A Secretaria avançou e cresceu como um todo, através de novos projetos inovadores e melhoramento de todos os programas já existentes, beneficiando tanto agricultores, quanto a população em geral”, destaca Bruno.
 

Feira Verde

As ações de gestão realizadas no Programa Feira Verde são algumas das que registraram avanços. O programa conta com a participação dos agricultores familiares de Ponta Grossa e distritos vizinhos, no fornecimento dos alimentos hortifrutigranjeiros que são entregues para a população. Em 2020, 161 produtores rurais assinaram contrato com o Município. Esse montante equivaleu a mais de R$ 1,2 milhão de investimento. Em troca do provimento dos alimentos, os agricultores recebem uma renda anual pelo trabalho prestado. Em um ano, 11 pontos de trocas foram inclusos na programação do Feira Verde.

Entre 2019 e 2020 foram distribuídos 17 mil quilos de alimentos hortifrutigranjeiros para a população. Neste último ano, um aumento de 12% na quantidade de alimentos entregues foi registrado, mesmo diante da pandemia do Coronavírus. Além disso, quase 8 toneladas de recicláveis e entregues nas quatro associações de recicláveis, quantidade derivada das trocas registradas ao longo dos dois.

Criação dos Programas ‘Pneu Velho ainda Roda’ e o ‘Passe Verde’

Pensando em melhorar cada vez mais o Feira Verde, através de novos programas, foi permitida a troca de pneus por créditos de bilhetagem do transporte público urbano. O resultado foi de16 mil pneus retirados da natureza e entregues nas quatro associações de recicláveis, auxiliando ao combate à Dengue, colocando a cidade em antepenúltimo lugar com os menores casos no Paraná e sem nenhuma morte no último ano epidemiológico.

Reestruturação do Programa de Aquisição de Alimentos

Para aumentar o incentivo dos produtores rurais em 2020, a Prefeitura reestruturou o Programa Municipal de Aquisição de Alimentos (PAA), dando prioridade ao grupo nas aquisições de alimentos para programas e instituições ligadas à administração pública do município. As principais novidades são de que cada unidade familiar poderá receber R$ 20 mil por ano ao firmar contrato com a Prefeitura para fornecer alimentos aos órgãos da administração pública. Até então, cada pessoa recebia R$ 8 mil para fornecer os produtos.

“Além de quase triplicar a compra por produtor rural para os próximos anos, avançamos na questão da organização da produção, o que possibilitou o melhor acesso ao PAA. Antes, alguns produtores não conseguiam entregar os produtos hortifrutigranjeiros requeridos para os programas da Prefeitura. Com as mudanças do Programa, a partir de 2021 o produtor conseguirá, principalmente, organizar seu fluxo produtivo para as vendas e entregas ao longo do ano, sem ter perda na sua produção”, ressalta o secretário.

Constante diálogo com os produtores

Visando promover inserção econômica e social dos pequenos produtores, a Prefeitura também promoveu diversas reuniões com os agricultores para encontrar soluções diversas para o acesso aos canais de comercialização da cidade. Os encontros buscavam discutir ideias, sanar dúvidas e orientar os produtores na criação de novas associações e cooperativas; contando com participações de advogados do agronegócio, agrônomos e médicos veterinários. Uma das associações que surgiu a partir das reuniões foi a Associação de Moradores, Produtores e Agricultores de Carazinho e Serrinho (Ampacs). “Ao todo, tivemos a inserção de mais 44 produtores através desta associação”, destaca Bruno.

Fomento às feiras

As feiras do produtor são outros instrumentos utilizados pelos agricultores para obtenção de renda e escoamento da safra. Conforme os dados da SMAPA, atualmente cerca de 70 feirantes participam das quatro feiras realizadas na cidade, que são fiscalizadas e organizadas pela Prefeitura. Com o objetivo de fortalecer o setor produtivo e a comercialização dos produtos da agricultura familiar, em 2019, o Município adquiriu barracas, mesas e lonas para reforçar a cobertura das bancas e as entregou aos feirantes.

Em 2020, no início da pandemia da Covid-19 e com as restrições do comércio, a Prefeitura cedeu um espaço para que os feirantes pudessem utilizar como central de abastecimento para uma feira delivery, na qual os pedidos eram feitos de forma digital. O programa apoiado pela SMAPA reuniu 37 fornecedores durante dois meses em que esteve funcionando, sendo responsável por comercializar 19 toneladas de alimentos até a retomada das atividades das feiras tradicionais. Na considerada ‘Semana Santa’ o comércio de peixes também foi viabilizado pelo formato delivery, alcançando a venda de mais de 400 kg de peixes pelos produtores da região.

“Com a pandemia tivemos que tomar duras decisões, como a suspensão da Feira do Produtor e posterior compra de produtos dos feirantes para evitar que os agricultores saíssem no prejuízo. Impor restrições, suspender temporariamente o programa Feira Verde. No entanto, essas medidas não afetou os números de atendimentos à população, pois mesmo com limitações, os números continuaram crescendo e os cidadãos atendidos”, alega Bruno.

O agricultor Jonas Franco é um dos produtores que vê na feira a sua principal forma de obtenção de renda. “Moro com mais três pessoas da minha família e cultivo vários tipos de hortaliças. Vou direto nas feiras, participei da feira delivery e hoje essa atividade é o que me mantém. Para mim é uma alegria ter a liberdade de administrar meu próprio negócio", ressalta Jonas.

Outras feiras também foram fomentadas pelo Município, a fim de beneficiar os produtores de determinado alimento, como a Feira da Uva e a Feira do Peixe.

Feira Paraná

Um marco, nesse sentido, foi a realização da Feira Paraná. Após 20 anos sem ser realizado, o evento tradicional do Paraná até 1999 teve as atividades retomadas em 2019 e fez com que Ponta Grossa se tornasse a capital do Estado por três dias, acumulando cerca de 100 mil visitantes e 300 empresas participantes. A feira aconteceu paralelamente à Exposição Feira Agropecuária e Industrial de Ponta Grossa (Efapi).

Durante o evento, o Centro Agropecuário Municipal concentrou mais de 1 mil animais para visitação em três grandes pavilhões. Tendo como foco a força da tecnologia no agronegócio, a Feira Paraná buscou pensar nas mudanças e no dinamismo do campo, que passa por constante modernização.

No Centro de Eventos as grandes tendências e novidades da indústria, comércio, serviços e tecnologias também foram apresentadas ao público. O evento também contou com expositores do agronegócio, leilões, julgamentos e provas equestres, além de shows de artistas nacionais renomados. No ano de 2020, a Feira Paraná aconteceria novamente em Ponta Grossa, mas, por conta da pandemia da corona vírus, precisou ser suspensa para evitar aglomerações de pessoas.

“Considero que o maior desafio da gestão foi a realização da Feira Paraná. Juntamente com o Núcleo Campos Gerais do Cavalos Quarto de Milha (NCGQM) e o Sindicato Rural de Ponta Grossa, organizamos o evento em praticamente 60 dias e conseguimos entregar uma das maiores feiras da história de Ponta Grossa. Um marco dentro da Feira, foi o Pavilhão Agrotech, que contou com mais de 50 palestrantes de todo Brasil, disseminando informações sobre agricultura, comércio, novas tecnologias e inovação. Isso possibilitou um grande networking para os participantes”, sustenta o secretário.

Abastecimento

Um outro pilar da SMAPA também consistiu em promover avanços no que diz respeito à segurança alimentar da população. Com o Mercado da Família, quase 80 mil famílias foram atendidas ao longo dos dois últimos anos. O programa contém quatro unidades, que possuem produtos alimentícios, de limpeza e utilidades domésticas com preços até 30% mais baratos do que os encontrados em mercados convencionais. Atualmente, 44.305 famílias estão cadastradas no programa.

A SMAPA também realizou ao longo dos dois últimos anos a entrega de mudas para as famílias e também para as hortas comunitárias do Costa Rica e do Panamá. Em 2020, mais de 220 mil mudas foram distribuídas, permitindo que as próprias famílias pudessem ter suas próprias hortas.

Com o Serviço de Inspeção Municipal (SIM) mais de três toneladas de alimentos clandestinos foram apreendidos, além de mais de 4 mil ovos, que estavam sendo vendidos de forma irregular nos comércios da cidade. Com as visitas nos estabelecimentos, o SIM garantiu que alimentos sem procedência fossem comercializados e fossem fonte de doenças à população.

“Em 2020, com a pandemia, os nossos programas permitiram que a população pudesse contar com opções de alimentos saudáveis através das trocas do Feira Verde, do Mercado da Família, das mudas para as hortas urbanas e também com a fiscalização dos alimentos de origem animal. Promovemos a segurança alimentar adquirindo alimentos de qualidade para os nossos projetos. Os números revelam que os programas foram eficazes no atendimento à população mais vulnerável e o nosso objetivo foi cumprido”, diz Bruno.

Outras ações entre 2019 e 2020

Programa Poupança Verde

Para fornecer aos agricultores familiares mais uma opção de exploração nas propriedades, a Prefeitura também disponibilizou nos últimos anos mudas de eucalipto dunni para 179 produtores de 19 comunidades rurais. A rentabilidade com a cultura do eucalipto pode durar de 12 a 15 anos, proporcionando a ampliação de renda das famílias, através do programa.

Distribuição de Calcário

Em 2019, 940 toneladas de calcário foram repassadas a 96 pequenos produtores rurais cadastrados no Programa de Fomento Agropecuário.

Patrulha Agrícola

A Patrulha Agrícola atendeu anualmente cerca de 120 agricultores e oferece políticas públicas de acompanhamento na implantação de grades aradoras, roçadeira e encanteirador, através de solicitações feitas pelos próprios agricultores.

Estradas Rurais

Cerca de 1,2 mil quilômetros de estradas rurais receberam manutenção com equipamentos e verba da Prefeitura.

Poços Artesianos

Três poços artesianos puderam ser implantados. Um na região do Pocinho, área rural localizada em Itaiacoca; outro no Rocho Rois, no Guaragi; e outro na Colônia Moema, beneficiando mais de 300 famílias.

Entrega de Mudas de Hortaliças

A SMAPA também realizou ao longo dos dois últimos anos a entrega de mudas para as famílias e também para as hortas comunitárias do Costa Rica e do Panamá. Em 2020, mais de 220 mil mudas foram distribuídas, permitindo que as próprias famílias pudessem ter suas próprias hortas.

Com o período de gestão finalizado, Bruno agradece aos envolvidos e deseja sucesso e continuidade ao novo secretário. “Sentimento de gratidão a Deus, aos meus pais, Paulo Costa e Cléia Costa, e ao prefeito Marcelo Rangel por ter me escolhido como secretário nesse período de 1 ano e 5 meses. Através dessa oportunidade tive a satisfação de transformar a minha vida e de contribuir para a melhoria de vida de milhares de pessoas”, finaliza Bruno. (Com assessoria)