Fechar
Segunda, 18 de janeiro de 2021
Segunda, 18 de janeiro de 2021
Política 01/07/2016

Obras de ampliação do aterro sanitário de Castro, Carambeí e Piraí do Sul são entregues

Ouça a notícia Tempo de leitura aprox. --
Obras de ampliação do aterro sanitário de Castro, Carambeí e Piraí do Sul são entregues

Sandro Alex ConselhosO deputado federal Sandro Alex (PSD) visitou participou nesta sexta-feira (01) o aterro sanitário formado pelo Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos, entre os municípios de Castro, Piraí do Sul e Carambeí. O aterro teve uma ampliação, com investimento de R$ 590 mil. Os recursos são provenientes do consórcio entre os três municípios, do qual 50% é para o volume de Castro, e a outra parte está dividida entre Carambeí e Piraí do Sul.

A continuação do uso do aterro sanitário municipal só seria viabilizada com a ampliação do espaço, e para isso a seria necessária a construção de uma nova célula, o que ampliou a utilização do aterro, por mais 15 anos.

“Mesmo com a capacidade atual do aterro sanitário de 40 toneladas de lixo ao dia, é necessário que investir na maximização da vida útil do espaço incentivando a população, através de programas e medidas que permitam o descarte adequado do lixo, incentivando a coleta seletiva, lembrando que o material reciclável, é o que mais ocupa espaço no aterro, e o que mais prejudica o meio ambiente”, destacou Sandro Alex.

Atualmente, o aterro sanitário é o método mais adequado para o descarte de resíduos domiciliares no Brasil, sendo que atualmente quase metade dos municípios brasileiros ainda não possuem aterros sanitários, e descartam os resíduos em lixões a céu aberto.Castro, Piraí do Sul e Carambeí conta com um espaço moderno, dentro das normas, considerado atualmente a melhor solução, quando se trata da preservação ambiental”.

Programas e projetos

Atualmente, Castro já oferece a coleta seletiva regular no município. Assim a comunidade pode descartar o material reciclável separado dos rejeitos (é o lixo que não tem reaproveitamento).

A coleta seletiva de materiais recicláveis acontece em dias pré-definidos pela empresa responsável. Mas, para que os materiais possam ser aproveitados é necessário que a separação e destinação sejam feitas de maneira apropriadas. Para isso o município conta com a Associação de Catadores de Castro – ACC, que funciona com o apoio da Prefeitura e do  Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Podem ser enviados à ACC papel, plástico e metais. Os papéis e papelão devem estar secos, limpos (sem gordura e restos de comida), de preferência não amassados. As caixas de papelão devem estar desmontadas por uma questão de otimização do espaço de armazenamento.

É possível encaminhar ainda diversos tipos de plásticos, canos, tubos, sacos plásticos e embalagens em geral, limpos e sem resíduos para evitar animais transmissores de doenças próximos ao local de armazenamento e contaminação. No caso dos metais – latas de alumínio, arames, pregos, parafusos, objetos de cobre, bronze, ferro, chumbo ou zinco, canos, tubos e embalagens de alimentos diversos – devem estar limpos e, se possível, reduzidos a um menor volume (amassados).

Ecopontos

Para receber os materiais que não podem ser descartados através da coleta de lixo e da coleta seletiva, a Prefeitura implantou os ecopontos no município.

O Ecoponto é um local de entrega voluntária de pequenos volumes - até 1 m³ - de entulho de obras, móveis usados, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, poda de jardim e de resíduos recicláveis. Assim, as pessoas poderão descartar gratuitamente os materiais que não são recolhidas normalmente pelas coletas regulares, e assim evitando que estes materiais sejam abandonados nas calçadas, ruas e terrenos baldios que muitas vezes acabam se transformando em lixões.

O município e o Conselho Municipal de Meio Ambiente também apoiam a Associação de Catadores de Castro. Os associados têm como principal fonte de renda os materiais recicláveis que são separados e prensados para a comercialização. (Fonte: assessoria)