Destaques

Eleições 2020: Movimentação é intensa entre os partidos na reta final para filiações

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, afirmou e reafirmou nos últimos dias que o calendário para as Eleições Municipais será mantido, mesmo diante da pandemia do novo coronavírus. Possíveis alterações só serão feitas em caso de aumento descontrolado da doença. Assim, vai até esta sexta-feira (03) o prazo para filiações partidárias para aqueles que pretendem ser candidatos no pleito deste ano.

Os partidos tiveram dificuldades para conseguir reunir possíveis filiados nesse momento de isolamento social. Porém, a movimentação nos bastidores em Ponta Grossa é grande nesta reta final para filiar candidatos e formar uma chapa competitiva para concorrer à Câmara de Vereadores, e também para apresentar candidaturas viáveis para Prefeitura lá no período das convenções, que vai do final de julho ao início de agosto.

Entre as novas filiações, estão a de vários vereadores. Como já informamos, o PRTB teve a entrada dos vereadores Valter de Souza, o Valtão, que estava no PP, e do Sargento Guiarone, que deixou o Pros.

No PSB, se filiaram outros dois vereadores: Pietro Arnaud e Geraldo Stocco, que estavam na Rede. Eles acompanham o deputado federal Aliel Machado, que também saiu da Rede para entrar no PSB. A chapa do PSB deve ficar bastante competitiva, já que também devem integrá-la os ex-vereadores Professor Careca e Antônio Aguinel, além de um grupo de lideranças que deixou o Avante nesta reta final para adentrar ao PSB, encabeçada pelo empresário Dirlei Cordeiro, proprietário da academia Bioativa.

No Avante, o presidente municipal, contabilista Romualdo Camargo, prepara a reposição das peças com a saída de Dirlei e mais cerca de quatro pré-candidatos. O entendimento é de que a chapa conseguirá manter a competitividade com a entrada de novas lideranças. E entre elas é possível que esteja um vereador que fez até 1.500 votos em 2016.

No PSD, a informação que chega é que os vereadores Daniel Milla e Rogério Mioduski se filiaram ao partido. Milla já havia de desfiliado do PV e Mioduski estava no Cidadania, antigo PPS. Este último vai deixar a Câmara para o retorno de Maurício Silva, que estava licenciado para ocupar o cargo de secretário municipal de Governo. Silva também é cogitado para filiação no PSD. Ele estava no PSB. Além deles, são aguardados mais vereadores no partido, que pretende eleger o maior número de cadeiras, entre 4 a 5.

Com o fim das coligações na proporcional, a aposta de alguns partidos está sendo aglutinar o maior número possível de candidatos bons de voto. Essa é a estratégia do PSD, que está tendo na formação da chapa em Ponta Grossa o experiente Elizeu Chociai, presidente municipal da legenda, e conta também com a participação do secretário estadual de infraestrutura e Logística, o deputado federal licenciado Sandro Alex.

O PSDB, do prefeito Marcelo Rangel, também trabalha com esse pensamento de reunir muitos bons de voto, e deve ser o destino de mais vereadores, além dos que já estão: Felipe Passos e Eduardo Kalinoski.

O PSC é um partido que deve ficar com três vereadores, com a confirmação da entrada de João Florenal da Silva e Paulo Balansin, que estavam no Podemos. O partido já conta com o vereador Divo. O grupo trabalha para conseguir mais pré-candidatos até o fim do prazo.

Essa também é a realidade para muitos partidos que estão trabalhando na formação de chapas. O dia amanhã promete ser bastante movimentado no meio político-partidário.

Já em relação à eleição para Prefeitura, a grande expectativa é pela decisão a ser tomada pelo juiz federal Antônio César Bochenek. Ele tem o convite para se filiar no PSD e ser candidato a prefeito, pelo grupo do prefeito Marcelo Rangel e do deputado Sandro Alex, com apoio do governador Ratinho Junior (PSD). Porém, para isso precisa abrir mão em definitivo da carreira de magistrado. Pelo que consta, nos últimos dias Bochenek dedicou seu tempo em pensar a fundo sobre a mudança total de rumo em sua vida. A decisão de ser candidato ou não será feita amanhã.

O sábado, dia 04 de abril, também será de movimento intenso para os dirigentes partidários, já que é somente este dia que as legendas terão para enviar a lista de filiados à Justiça Eleitoral.

A partir daí, com as cartas na mesa, o jogo eleitoral entrará em uma nova fase, que vai até as convenções.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts