A secretária municipal de Educação, Esméria Saveli, se manifestou sobre o uso de roupa preta com frase do educador Paulo Freire durante o desfile de Independência, no último dia 7 de setembro. Via assessoria de comunicação, a secretária classificou como “uma polêmica vazia de sentido” e frisou que as ideias do patrono da Educação no Brasil, Paulo Freire, “têm contribuído decisivamente no sucesso da Educação em Ponta Grossa”.

Confira a nota com o posicionamento da secretária Esméria Saveli na íntegra:

A secretária considerou uma polêmica vazia de sentido, o “uso de preto” durante o desfile, uma vez que já desfilou de preto em ocasiões anteriores. Destacou que também outros integrantes da Secretaria fizeram o mesmo e que havia pessoas com diversas cores diferentes, passando pelo vermelho, roxo, azul e branco, entre outras. Em relação à frase de Paulo Freire, lembrou que o patrono da Educação brasileira é o tema central do Congresso de Educação e da Feira do Livro deste ano, que discute Gestão Democrática e Justiça Social, à luz da obra do educador – e que por isso utilizou a roupa contendo a mensagem. Esméria destacou que é ‘freiriana’ desde o início de sua carreira e que as ideias de Freire contribuem decisivamente para o sucesso da Educação em Ponta Grossa. Lembrou também que a frase em destaque na camiseta demonstra o apreço de Freire pela Educação e leva uma mensagem amorosa ao povo brasileiro: “A Escola não transforma o mundo, transforma as pessoas. As pessoas mudam o mundo”, dizia Paulo Freire.
Internautas e vereadores de direita e extrema direita criticaram a atitude da secretária Esméria, por considerarem uma manifestação política contra o governo Bolsonaro. Um grupo de parlamentares chegou a cogitar a apresentação de uma moção de repúdio. Entretanto, outros vereadores saíram em defesa da secretária, por considerarem as críticas como censura e autoritárias (veja matéria).

Confira outros Posts