Destaques

No Sindserv, Aliel alerta para demissão de 15% do funcionalismo de PG com Reforma da Previdência

O Sindicato dos Servidores Municipais de Ponta Grossa (SINDSERV) realizou na noite de quinta-feira (23) um seminário sobre a Reforma da Previdência. O evento contou com a presença do deputado federal Aliel Machado (PSB), integrante da Comissão Especial que analisa a proposta de Reforma da Previdência na Câmara Federal. 

De acordo com o Sindserv, “foram convidados todos os deputados que representam a região para participar desta discussão e levar ao Congresso Nacional nossa sugestão de alteração na proposta atual, para que tenhamos uma previdência mais justa para nós trabalhadores”.

Para o presidente do Sindicato, Leovanir Martins, o evento proporcionou aos servidores tomar conhecimento dos prejuízos na proposta que a grande maioria da população ainda não tem conhecimento. “Diante de tudo que o Sindicato tem de informação, temos a certeza que será um desafio evitar que este projeto destrua todos os direitos conquistados com muita luta ao longo da história dos trabalhadores”, destacou Martins.

Impacto à classe

Único parlamentar presente no evento, Aliel Machado apresentou aos servidores os principais pontos da proposta, especialmente os itens que devem atingir a categoria dos servidores. Pela nova regra geral, fica vedado o recebimento de aposentadoria por quaisquer dos regimes (geral, próprio ou militar) com a remuneração de cargo, emprego ou função pública.  

Na prática, a mudança tem maior impacto sobre os servidores das empresas estatais. Um servidor de empresa pública ou de sociedade de economia mista que já esteja aposentado ou que venha a se aposentar não poderá acumular o recebimento dos seus proventos com os vencimentos do cargo.

1,3 mil servidores afetados

Um levantamento aponta que só a Prefeitura de Ponta Grossa conta com cerca de 8,7 mil funcionários atualmente, sendo que cerca de 1,3 mil deles já estão aposentados e que seguem trabalhando. Segundo a Prefeitura, todos eles estão empregados através do regime celetista (regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT). 

“Na Reforma da Previdência, o governo federal sugere que aposentados pelo regime celetista não poderão acumular os dois benefícios, o que poderia resultar na exoneração dos aposentados (cerca de 15% do total). Isso é um equívoco, vamos penalizar quem tem muita experiência e muito a contribuir”, revelou Aliel. (Com assessoria)

O Doc.com já havia tratado do assunto no último dia 17.

Confira outros Posts