Ponta Grossa

UEPG distribui protetores faciais aos profissionais de saúde e agentes de segurança

Integrantes do projeto “Protetor Facial” da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) entregaram, desde quinta-feira (10), 350 equipamentos de proteção individual para profissionais da saúde e agentes de segurança. Na manhã desta segunda-feira (13), foram distribuídos 100 equipamentos para o Hospital Santa Casa de Misericórdia, 10 para a Polícia Civil, 20 para a Polícia Rodoviária Federal e 30 para a Polícia Militar.

O destino dos equipamentos

No domingo (12), foram destinados 20 protetores faciais para o Corpo de Bombeiros do Paraná e na sexta-feira (10), foram doados 20 equipamentos para a UPA da Santa Paula e mais 100 para o Hospital Universitário da UEPG.  Segundo o professor e coordenador do projeto, Maurício Zadra Pacheco, desde o início da ação, a equipe de Ponta Grossa já produziu 700 protetores faciais.

“A nossa meta é entregar 1.800 unidades do EPI aos hospitais e forças de segurança”, conta o docente.

Na tarde de quinta-feira (9), o reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, foi representado pelo Chefe de Gabinete da Reitoria, Rauli Gross Junior, para a transferência, por meio de doação de cinquenta máscaras de proteção ao Presidente do Rotary Club de Palmeira, Geise Begosso. A destinação foi intermediada pelo Rotary Alagados de Ponta Grossa que forneceu os insumos para a instituição, que, por sua vez, contou com a mão de obra dos voluntários na confecção dos EPI’s.

Geise destacou a importância dos equipamentos de proteção que serão direcionados aos funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Palmeira.

“O momento é importante para reforçar as conexões entre pessoas para o bem comum, principalmente no combate a esta pandemia causada pelo Coronavírus”. O município de Palmeira está localizado a 45 Km de Ponta Grossa e possui 33 mil habitantes.

Quem participou das entregas 

Participaram da entrega os professores da UEPG Miguel Arcanjo de Freitas Junior e Amauri do Nascimento. Segundo Pacheco, a participação de todos é relevante em cada fase do processo. “São muitas pessoas envolvidas tanto na produção, como no desenvolvimento dos modelos, além da montagem, sanitização, embalagem e destinação dos mesmos”, conta.

Novo modelo

A equipe do projeto desenvolveu uma nova estrutura para o protetor facial que permitiu aumentar a produção. Com o aproveitamento da carneira de capacete de segurança, os voluntários otimizaram a montagem do equipamento, com baixo custo e a redução do tempo.

Segundo Benjamim, este modelo foi desenvolvido em equipe: “o projeto conta com a minha contribuição, com a contribuição do professor Amauri do Nascimento, de dois alunos de mestrado e mais dois alunos de doutorado”.

O professor Pacheco explica que as remessas estão sendo entregues à Reitoria da UEPG, responsável pela distribuição dos equipamentos conforme os pedidos das instituições.

O projeto envolve a participação de docentes e alunos de mestrado e doutorado da UEPG, da UTFPR de Francisco Beltrão e de Ponta Grossa, assim como de empresas e profissionais que atuam como voluntários. Além disso, recebe o apoio do Governo do Estado, por meio da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (SETI), e faz parte da campanha “UEPG contra o Coronavírus”. (Com assessoria)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts