Destaques

Prefeito denuncia e Polícia vai investigar conduta de organizadores do buzinaço

O delegado-chefe da Polícia Civil em Ponta Grossa, Nagib Nassif, informou neste sábado (28) que, na noite de sexta-feira (27), o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel (PSDB), registrou um boletim de ocorrência na 13ª Subdivisão Policial, contra os organizadores de uma carreata\buzinaço, ocorrida na tarde de sexta, em que protestavam e pediam a reabertura do comércio local, fechado por decreto dentro das ações para evitar a proliferação da pandemia de coronavírus no Município. O secretário de infraestrutura e Logística do Paraná, deputado federal Sandro Alex, esteve com o seu irmão prefeito no registro da ocorrência.

Segundo o delegado, a alegação da denúncia é de que manifestantes disseram inverdades à população sobre a situação política do país, “afirmando que o Governador do Estado do Paraná, atendendo à solicitação do Presidente da República, havia determinado a imediata abertura do comércio local e a volta às aulas, incitando as pessoas a desobedecerem o decreto municipal destinado a minimizar a propagação da Covid-19, além de terem, por meio das redes sociais, noticiado falsamente que o prefeito teria sido o responsável pelo suicídio de um empresário informal, ao proibir que e o mesmo exercesse suas atividades por meio do decreto por eles questionado”.

O delegado disse que o prefeito solicitou que sejam adotadas as medidas legais cabíveis em relação à conduta dos organizadores da carreata, relatando preocupação com a situação dos munícipes, que em razão das manifestações, venham a desobedecer o decreto municipal que determina que o comércio não essencial permaneça fechado e assim, coloquem-se em situação de risco, expondo-se à contaminação e contribuindo para o aumento de casos de coronavírus – Covid-19 no município de Ponta Grossa.

A Polícia Civil irá instaurar procedimento para apuração das condutas noticiadas, as quais, se confirmadas, podem caracterizar na prática de incitação ao crime, de infração à determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa e até mesmo divulgar de fake news, cujas penas podem chegar a dois anos e meio de prisão, além de multa.

“Com a cidade em estado de emergência, e o estado em Calamidade Pública, é lamentável termos que denunciar com provas, crimes que colocam em risco a todos”, escreveu o prefeito Marcelo Rangel em sua conta no Facebook.

Assista ao vídeo divulgado pelo delegado Nagib Assif sobre o caso:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts