Ponta Grossa

Feira Verde e projeto Do Rio ao Rio levam educação ambiental nos bairros de PG

Quem participou das trocas do Programa Feira Verde nos bairros Cará-Cará, Santa Bárbara, Jamil, Leila Maria e Baraúna nesta segunda-feira de carnaval (24) teve a oportunidade de adquirir conhecimento e tirar dúvidas sobre a questão ambiental da água no Paraná. Isso porque o projeto Do Rio ao Rio da Ecoexpresso Sanepar complementou as atividades do Feira Verde durante o dia para proporcionar educação ambiental à população dos bairros atendidos.

Na ocasião, um ônibus itinerante seguiu os caminhões do Feira Verde e as pessoas podiam visitá-lo gratuitamente. O veículo contém uma enorme maquete, que ilustra, de forma resumida, o caminho que a água percorre desde que ela é captada até o seu destino final. Dessa forma, quem participou das trocas do programa promovido pela Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA), pôde também entrar no ônibus e conhecer mais sobre a importância dos cuidados com a água.

O projeto da Sanepar tem por intuito permitir que a população se sinta responsável pela preservação dos recursos hídricos e que adote atitudes sustentáveis no dia a dia, como usar água sem desperdiçar, destinar o ‘lixo’ corretamente e fazer a ligação do imóvel à rede de esgoto de forma adequada. Para o trabalho de sensibilização, o ônibus itinerante percorre as cidades do Paraná desde 2014 e realiza as atividades em pontos e projetos estratégicos dos municípios.

“Em Ponta Grossa, escolhemos acompanhar o Feira Verde pelo fato de ser um projeto social e ambiental que tem um grande alcance e trabalha com a retirada de resíduos que são um dos principais contaminantes dos nossos recursos hídricos. O trabalho do programa, além de trabalhar com a troca de alimentos por materiais recicláveis, é uma ferramenta de educação ambiental e nós apoiamos esse tipo de iniciativa”, explica a gestora de Educação Socioambiental da unidade da Sanepar em Ponta Grossa.

Assim que as pessoas entravam no ônibus, eram recepcionadas por técnicos ambientais e biólogos, que exibiam as maquetes e explanavam sobre o caminho da água e os principais cuidados que se deve ter para a sua preservação. A representação do ciclo da água, no ônibus, inclui a demonstração do percurso da água residuária, desde a saída das residências; uma estação de tratamento de esgoto; os processos de geração de energia a partir do gás metano, destinação do lodo de esgoto tratado para a agricultura; o tratamento adequado dos resíduos sólidos; dentre outros percursos importantes que o líquido percorre.

Durante as visitas, a população também pôde tirar dúvidas com relação ao serviço fornecido pela Sanepar e também sobre a água, no geral. Adriana da Costa, 37, é uma das pessoas que aproveitou o momento das trocas no bairro Santa Bárbara para visitar o ônibus e fazer um questionamento aos técnicos ambientais contratados pela Sanepar. “Achei bem interessante conhecer o percurso da água. Algumas coisas eu conhecia, outras não. Aproveitei para tirar uma dúvida sobre o meu hidrômetro e me ajudou bastante. Achei a maquete bem bonita e explicativa”, destaca a mulher.

Janete Tavares, 62, também trocou recicláveis por alimentos no Feira Verde e aproveitou para elogiar o trabalho da organização. “Muita gente fala que trocar lixo é vergonha. Para mim não é vergonha, é uma questão ambiental. Achei muito interessante que o trabalho da Sanepar orienta exatamente a importância de separar os materiais e de não deixar que óleo de cozinha entre nas tubulações de água, porque essas coisas geralmente contaminam a água que usamos”, descreve Janete.

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do município, Bruno Costa, a parceria com a Sanepar para a promoção da educação ambiental fornecida nesta segunda-feira durante as trocas do Feira Verde vem de encontro com o que a Prefeitura tenta ressaltar: a importância dos cuidados com o meio ambiente.

O projeto Do Rio ao Rio expõe, dentre outras coisas, sobre a necessidade de descartar corretamente os resíduos sólidos, porque se forem jogados de forma irregular, os lençóis freáticos podem ser contaminados e toda a população sofrerá as consequências. No Feira Verde nós damos espaço para que as pessoas possam descartar corretamente os materiais recicláveis, trocando-os por alimentos. Então um projeto vem para complementar o outro. Por isso que apoiamos a ação da Sanepar e falamos para a população sobre a importância da visita”, enfatiza Bruno.

Nesta segunda-feira, as atividades do Feira Verde aconteceram normalmente. Na terça (25) e na quarta-feira (26) não ocorrerão as trocas, por conta do feriado de Carnaval. Na quinta-feira (27), os caminhões percorrerão os bairros normalmente. Os detalhes sobre o calendário desta semana podem ser conferidos aqui. (Com Assessoria)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts