Destaques

Tombamento do conjunto arquitetônico da Rua XV será decidido na próxima semana

Na próxima segunda-feira (03), a Fundação Municipal de Cultura realiza a Sessão Pública de Tombamento do conjunto arquitetônico da Rua XV de Novembro. São contemplados cinco imóveis que ficam na margem direita da XV, trecho entre as ruas Santana e Augusto Ribas. Será a primeira vez em que todo um conjunto de imóveis passa por esse processo em Ponta Grossa. Os prédios no estilo Art-Decó, característico dos anos 1920, fazem parte da paisagem, memória e identidade local. O evento será realizado às 20h no Cine-Teatro Ópera.

Como funciona a sessão?                                        

A sessão é aberta ao público. Participam efetivamente os proprietários e membros do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (COMPAC). Durante a reunião são apresentados os históricos dos imóveis e os argumentos que justificam o tombamento, além da sugestão do grau de proteção (apenas a fachada, toda a construção, o entorno). O espaço então é aberto para o proprietário, ou um procurador, fazer considerações.

Por fim, é aberta a votação que define se haverá o tombamento do imóvel. É necessário que, no mínimo, 70% dos conselheiros sejam favoráveis.

O que é o tombamento?

O tombamento é uma maneira de garantir a preservação de bens de valor cultural, arquitetônico, histórico, ambiental e afetivo para a população, impedindo que venham a ser destruídos ou descaracterizados.

Por que tombar?

“Trata-se de um conjunto de imóveis de grande importância para a história de Ponta Grossa, mas que se isolados não têm a mesma representatividade”, afirma Alberto Portugal, diretor do Departamento de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura. Nominada em 1920, a rua XV de novembro foi palco de importantes eventos políticos e sociais na história da cidade. O conjunto já está no inventário municipal de bens materiais desde 2005.

Entre os argumentos para tombar esses imóveis está a proximidade com outro três já tombados: Mansão Vendrami, Cine Teatro Ópera e Botequim, representativos na paisagem urbana.

“A perda de boa parte do referencial histórico nesta mesma região, a exemplo do imóvel que abrigava a confeitaria Sonhos e Sonhos, é que faz-se pensar na necessidade eminente de se realizar o tombamento do Conjunto Arquitetônico da Rua XV de Novembro”, completa Portugal.

Você sabia?

A ‘Casa Lange’, que faz parte do conjunto da Rua XV, foi a primeira com iluminação a gás e tornou-se uma das mais importantes da cidade. Com o advento da eletricidade, suas vitrines sempre estavam abertas a noite. (Com assessoria)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts