Destaques

R$ 9 milhões: PG avança para ter 40 casas no Condomínio do Idoso

O prefeito Marcelo Rangel e o diretor-presidente da Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar), Deloir Scremin Jr, estiveram, nesta semana, em Curitiba para discutir os detalhes da construção do Condomínio do Idoso no município. O projeto, desenvolvido através de parceria entre a Prefeitura, Prolar e Governo do Estado, faz parte do Programa Viver Mais Paraná e prevê a construção de 40 casas na região do Parque dos Sábias. O investimento total é de aproximadamente R$ 9 milhões.

Em reunião com o diretor-presidente da Cohapar, Jorge Lange, e o diretor jurídico Dino Schrutt, foram discutidos os próximos passos para a implantação do condomínio na cidade. “Esse é um projeto muito importante, inovador, e que oferece um grande suporte aos nossos idosos. É um condomínio com a estrutura planejada para oferecer segurança e conforto para a melhor idade e que é exemplo para todo o Brasil na área de habitação”, destaca o prefeito Marcelo Rangel.

Segundo o diretor-presidente da Prolar, Deloir Scremin Jr., atualmente a Companhia trabalha nos últimos ajustes para que possa ser realizada a licitação para a construção dos imóveis. “Nós conseguimos uma área localizada próximo ao Parque dos Sábias e estamos dando todo o suporte para viabilizar a construção desses imóveis o mais rápido possível. Serão casas adaptadas com rampas de acesso, corrimão e sem degraus. Além disso, o condomínio tem área de convivência e outros dispositivos voltados para oferecer mais qualidade de vida para os moradores”, declara Deloir.

Viver mais Paraná

O programa consiste na implantação condomínios horizontais fechados em cidades com mais de 30 mil habitantes. As unidades habitacionais contarão com um dormitório, sala, banheiro, cozinha e varanda, para idosos solteiros ou casais.

Os espaços terão infraestrutura de lazer completa, com praça de convivência, biblioteca, sala de informática, academia ao ar livre, piscina para hidroginástica, horta comunitária, salão de festas e atividades e quiosques próprios para a prática de jogos de tabuleiro e carteado. Também terão ambulatório para atendimentos médicos básicos aos residentes, guarita de segurança e sala de administração.

Poderão participar da seleção das unidades pessoas idosas com renda de um a seis salários mínimos, e que não sejam proprietários de outros imóveis. Os escolhidos poderão residir nas casas por tempo indeterminado, sozinhos ou em casais, com o pagamento de uma contrapartida mensal de 15% de um salário-mínimo, que equivale atualmente a cerca de 150 reais. (Com assessoria)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts