Política TV Doc

Avança na Alep projeto que regulamenta plantio perto da rede elétrica

Por unanimidade, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira (3), o projeto que regulamenta o plantio de árvores próximas às linhas de energia elétrica. De autoria do deputado Hussein Bakri (PSD), a proposta estabelece uma faixa de segurança mínima de 15 metros de cada lado da rede e determina que a altura máxima das árvores não poderá ultrapassar 3 metros.

“Este projeto foi redigido em consonância com a Copel e com os órgãos ambientais. Há uma quantidade enorme de quedas de energia por conta de árvores que caem na rede e acabam causando acidentes graves, além de provocar prejuízos financeiros pela queda de energia. A medida também vai incentivar outras culturas como o plantio da erva-mate, gerando renda para o meio rural”, defendeu Hussein Bakri, que é Líder do Governo na Assembleia Legislativa e representante do Sul do Paraná na Assembleia Legislativa.

O projeto prevê que a poda das árvores será de responsabilidade do proprietário da terra, exceto nos casos em que houver risco de segurança e a Copel deverá ser acionada. Se as regras não forem cumpridas, a concessionária poderá podar ou mesmo retirar as árvores. O prazo para adequação à nova legislação será de 7 anos.

Segundo a justificativa da proposta, em algumas regiões do Paraná, a vegetação é responsável por mais de 50% das interrupções no sistema de distribuição de energia elétrica. Boa parte dos casos envolve o reflorestamento de eucaliptos, que, durante vendavais e tempestades, entram em contato com os cabos condutores e deixam casas e fábricas sem luz por várias horas. Há ainda a questão da segurança de pessoas e animais, agravada pelo risco de incêndios florestais.

Erva-mate

A regulamentação dessas regras é um anseio antigo da cadeia produtiva da erva-mate do Sul do estado. Há dois meses, por intermédio do deputado Hussein Bakri, o Conselho Gestor da Erva-Mate do Vale do Iguaçu (Cogemate) esteve no Palácio Iguaçu e apresentou essa e outras demandas do setor ao Governador Ratinho Junior (PSD).

Vários dos pontos debatidos naquele encontro já estão sendo avaliados internamente pelos órgãos competentes dentro do Executivo estadual. A pauta inclui a criação do Arranjo Produtivo Local (APL); de uma zona franca; de leis estaduais de manejo sustentável, que amparem o cultivo do produto em meio à mata nativa; desenvolvimento de pesquisas acadêmicas; marketing institucional em cima do produto; fomento ao turismo; e a inclusão do chá ou suco de erva-mate na merenda escolar. (Com assessoria)

Foto: Orlando Kissner\Alep

Confira outros Posts