Na tarde desta segunda-feira (2), o prefeito Marcelo Rangel, acompanhado pelo delegado da Polícia Civil, Fernando Maurício Jasinski, convocou uma coletiva de imprensa. A intenção da reunião foi esclarecer a população sobre ataques que a Prefeitura Municipal tem recebido.

O prefeito relatou sobre a primeira invasão que ocorreu semana passada, no dia 26 de agosto. “Tivemos um ataque ao nosso sistema na Prefeitura, efetuado por hackers, os indivíduos subtraíram informações pessoas de servidores e munícipes. Nós identificamos o problema, vimos que alguns dados pessoais foram divulgados em redes sociais, foi feito bloqueio imediatamente através de sistema técnico. Começamos a fazer investigação dentro da Prefeitura, para saber o nível de aprofundamento que os criminosos tiveram acesso”, explica o prefeito. Segundo o chefe do executivo, em um primeiro momento, o vazamento indicava que as informações acessadas eram superficiais, com dados que constam no portal da transparência, por exemplo.

O delegado da Policia Civil,Fernando Maurício Jasinski, participou da entrevista coletiva concedida pelo prefeito Marcelo Rangel na tarde desta segunda-feira | Foto: Doc.com

Ameaças

Na manhã desta segunda, acorreu um novo ataque, desta vez com ameaças e tentativa de extorsão. “Convocamos a coletiva porque não temos mais a certeza de que os dados são superficiais, pois tivemos informações que outros dados precisam ser revisados, algumas questões duvidosas. A Controladoria solicitou a revisão na área de Recursos Humanos em situações pontuais e específicas. Estamos avaliando a profundidade destes ataques, para saber se houve alteração nos dados técnicos”, comenta Rangel.

O novo ataque, cometido pelo mesmo grupo, foi feito através do e-mail da Ouvidoria Municipal, onde os criminosos encaminharam através do sistema algumas exigências, extorsões e ameaças. “No e-mail, além de palavras de baixo calão, eles solicitam a quantia de R$ 50 mil para que informações não sejam divulgadas. No mesmo e-mail, foram disponibilizados dados pessoais meus, da minha família e inclusive de parentes que não residem em Ponta Grossa”, diz Rangel.

Segunda queixa

Após a reunião com a imprensa, o prefeito se dirigiu até a 13ª Subdivisão Policial para prestar a segunda queixa e disponibilizar todas as informações necessárias.  A Prefeitura também está em contato com o Nuciber (Núcleo de Combate aos Cibercrimes da Polícia Civil do Paraná) para auxiliar nas investigações.

Acesse e confira mais informações na entrevista com o prefeito:

Confira outros Posts