Política Ponta Grossa

UEPG: Reitor cumpre agenda política em Brasília para ‘destravar’ recursos

Em viagem a Brasília, para participar da reunião mensal da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais – ABRUEM, o reitor Miguel Sanches Neto aproveitou para cumprir uma agenda paralela, focada no destravamento de verbas destinadas para a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), um trabalho político contínuo que a reitoria vem fazendo junto aos órgãos de fomento.

Junto à Capes, na companhia do professor Carlos Willians Jaques Morais, coordenador do Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta e a Distância – Nutead, o reitor apresentou as medidas de eficiência de gestão promovidas pela nova equipe da UEPG, conseguindo o compromisso de um repasse de valores de seus convênios na ordem de R$ 650 mil.

“Com este valor, conseguimos concluir nossos compromissos no exercício de 2019 e iniciar o ano seguinte”, explica o professor Carlos Willians. A UEPG tem uma larga tradição na educação à distância (20 anos), que conta com o reconhecimento das equipes pedagógicas e administrativas da Capes.

Encontro com Aliel

Na mesma linha, o reitor e o coordenador do Nutead estiveram no gabinete do deputado Aliel Machado (PSB), para tratar dos novos repasses, por parte do Ministério da Saúde, para a obra da Maternidade, que está sendo construída junto ao HU-UEPG. A obra se encontra em andamento e será um importante instrumento de saúde para os Campos Gerais, permitindo inclusive que a UEPG oferte novas residências médicas.

“Esta é a maior conquista de nosso mandato e será a primeira maternidade pública de Ponta Grossa, que irá atender mães e bebês de toda a região”, afirma o deputado. Um investimento de R$ 4 milhões que será mais um presente da UEPG para toda a comunidade.

Emenda da bancada

Junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, também foram feitas gestões políticas para a liberação do pagamento de uma emenda de bancada, da ordem de R$ 3 milhões, destinada à readequação do campus central para melhorar o conforto acústico e térmico das salas de aulas e ampliação da rede de internet.

Para o reitor, esta articulação política é crucial em momentos em que a universidade pública, de uma maneira geral, sofre questionamentos. “Mostrar a nossa relevância para o desenvolvimento das regiões que representamos é o melhor caminho para desfazer incompreensões”, afirmou Sanches. (Com assessoria)

Confira outros Posts