Ponta Grossa

Sala de aula vira laboratório e alunos produzem repelente contra o Aedes

Muitas crianças já brincaram de ser grandes cientistas, fazer experiências, misturar componentes e criar assim uma nova fórmula, que possa ajudar o mundo. Mais do que brincar, alunos do 5º ano da Escola Municipal João Maria Cruz colocaram essa ideia em prática. Eles estão realizando o projeto “Citronela, adote essa ideia”, investigando todos os usos da planta no combate ao Aedes Aegypti. Eles estão usando a folha da planta para confeccionar produtos que repelem a presença de mosquitos.

Na última sexta-feira (28), a turma recebeu a visita de professoras do curso de Farmácia da UEPG, para dar prosseguimento às atividades aprendidas em sala em torno do tema. As professoras do curso ensinaram aos alunos e pais presentes como fazer um difusor de citronela, repelidor de mosquitos. Após a produção os alunos distribuíram para a vizinhança os frascos produzidos e também cerca de 50 mudas de Citronela, plantadas e cultivadas pelos alunos.

Combate ao vírus

Segundo a professora Mara Rejane da Cruz a turma investiga a dengue desde abril. Em sala, os alunos aprenderam como combater o vírus e como prevenir os focos de proliferação dos mosquitos. “Decidimos desenvolver o repelente natural, a partir das falas de alguns alunos que relataram ser alérgicos a repelentes industrializados e também pelo custo do produto”, declara Mara, professora responsável pela ação.

Além do trabalho em sala de aula, as crianças fizeram em maio uma visita ao laboratório de Farmácia da UEPG, onde aprenderam distinguir a Citronela do Capim Limão (planta com aparência similar). Lá eles aprenderam que a Citronela pode ser um componente para formulação de um repelente natural, o que em muito beneficiou ao aluno Eduardo Felipe – ele tem alergia a repelentes industrializados.

“Esse trabalho me deixou feliz, porque eu e o meu colega André somos alérgicos e como o produto é natural, nós podemos participar e também fazer o uso do produto”, disse Eduardo, que se sente contemplado pela iniciativa.

Manipulação

Na aula de manipulação do repelente, apresentada pela professora Patrícia Mathias Doll Boscardin, do curso de Farmácia, as crianças conheceram a fórmula do difusor de citronela. O produto é composto por  70% de álcool, folhas da planta picadas e corante verde, que foram colocados em um frasco, acompanhados de três pequenos palitos de madeira, responsáveis por difundir a essência do produto para o ambiente.

“Esse trabalho é uma oportunidade que eles têm de conhecer campos diferentes e até mesmo de atuação futura”, comenta Patrícia, que acredita que projetos extensionistas são fundamentais para orientação da população.

Familiares dos alunos também estiveram presentes. Eles também participaram do trabalho, confeccionando o repelente juntamente com toda a turma, e receberam mudas de citronela para colocar em prática o que aprenderam. A aposentada Guimar Ramos, avó do aluno Lorenzo Ramos, ficou admirada pelo conteúdo ao qual seu neto teve acesso. “No meu tempo não tinha trabalho nenhum assim, a gente só aprendia a ler, escrever e só”, relembrou Guimar.

Crianças são protagonistas

O ensino municipal busca fazer os alunos protagonistas do processo de aprendizagem, conforme a coordenadora de projetos Aparecida Castanho, da Secretaria Municipal de Educação. Entre as iniciativas utilizadas para que isso ocorra está o programa Agrinho, realizado em parceria entre a SME e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), onde o projeto Citronela está inscrito.

O programa incentiva as escolas a desenvolverem temas de relevância social. Para a aluna Maria Luize Guimarães, ser protagonista da aprendizagem é o mais interessante. “Aqui a gente pode fazer as coisas e aprender junto, fizemos sabonetes, velas, plantamos mudas de citronela e tudo isso é muito legal e divertido”, afirma a estudante do 5º ano.

A atividade coloca as crianças no mundo da pesquisa científica. Vários trabalhos já demonstram que o produto é eficaz no combate à Dengue. O difusor à base de citronela é recomendável como repelente por ser natural e ecológico, uma vez que o citronelal é um cheiro insuportável aos insetos e não prejudicial aos seres humanos e que tem um cheiro agradável ao olfato. (Com assessoria)

Confira outros Posts