Ponta Grossa

Crea-PR intensifica fiscalizações nas indústrias e no campo

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) vai intensificar as fiscalizações nas modalidades de Agronomia e Industriais, conforme planejamento estratégico definido para 2019. Somente de março a maio deste ano, na regional do Crea-PR em Ponta Grossa, das 640 fiscalizações realizadas, 35% (224) foram nas indústrias e no campo.

Ponta Grossa concentrou a maior parte das fiscalizações, com um total de 104 ações, seguida por Arapoti (28), Castro (25), Imbituva (22), Tibagi (16), Carambeí (15), Telêmaco Borba (14), São João do Triunfo (13), Jaguariaíva e Imbaú, com nove cada. O maior desafio da equipe, conforme explica a Facilitadora de Fiscalização e Tratamento de Processo do Crea-PR em Ponta Grossa, a Engenheira Agrônoma Ana Paula Afinovicz, está na identificação do serviço, já que diferentemente de uma obra, que tem um prazo maior para a execução do projeto e é visível para todos, os serviços realizados em uma indústria, por exemplo, são executados de um dia para o outro.

“Nada impede de fiscalizarmos serviços concluídos, mas, para que isso ocorra, contamos com a colaboração dos contratantes”, explica. Nesta modalidade, o Conselho questiona quem foi contratado para a instalação ou manutenção de equipamentos, entre outros serviços, com a identificação dos contratos realizados entre as partes, se a empresa contratada está registrada junto ao Crea-PR e se possui um profissional responsável técnico. “A indústria que contrata o serviço de uma empresa não credenciada junto ao Crea-PR tem a responsabilidade compartilhada caso venha a ocorrer algum acidente”, reforça a Engenheira.

Segurança

O gerente do Crea-PR, em Ponta Grossa, o Engenheiro Agrônomo, Vânder Della Coletta Moreno, frisa a importância de contratar profissionais e empresas habilitadas junto ao Conselho. “Isso dá mais segurança para quem contrata, pois sabe que o projeto e a execução do mesmo são realizados por profissionais com formação para a atividade e que estão habilitados no órgão de classe, com o fornecimento da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) dos serviços prestados”, completa.

Já para a modalidade Agronomia, a intensificação da fiscalização é realizada no início das safras de inverno e verão, com a solicitação de informações sobre quem é o responsável técnico pelo projeto e pela assistência técnica da área. “Não sendo identificado o profissional, o produtor pode ser autuado por exercício ilegal da profissão”, diz Ana Paula. Além da fiscalização direta nas lavouras, o Conselho realiza fiscalizações internas através de acesso às receitas agronômicas.

Equilíbrio

Apesar da nova estratégia do Conselho, a ideia não é diminuir as fiscalizações na área da Engenharia Civil, mas equilibrar as ações. “O Crea-PR é reconhecido pela fiscalização das obras, mas o Conselho também é responsável pela regulamentação de todas as Engenharias e Geociências. É interessante saber que a Engenharia está presente em praticamente tudo, desde a manutenção de um equipamento de ar condicionado, passando por grandes indústrias e até a condução de grandes lavouras. Todos eles são fiscalizados pelo Crea e precisam ter a participação de responsáveis técnicos habilitados”, frisa. No site do Crea-PR, no endereço eletrônicowww.crea-pr.org.br, no menu “Consulta Pública”, é possível consultar os dados dos profissionais e empresas legalmente habilitados para atuarem no Paraná, nas diversas áreas. (Com assessoria)

Confira outros Posts