Ponta Grossa

Estudo aponta viabilidade do Ceasa em Ponta Grossa

O grupo de trabalho instituído para apresentar proposta de implantação do Centro de Distribuição Agroalimentar dos Campos Gerais esteve reunido nesta terça-feira na Prefeitura de Ponta Grossa para apresentar o ante projeto de viabilidade econômica e financeira do Ceasa – Unidade de Ponta Grossa. Conforme o levantamento realizado pelo estudo, a implantação de um Ceasa na cidade, atendendo aos mais de 28 mil agricultores familiares e produtores rurais da região não seria apenas viável, como também tem potencial rentável e lucrativo.

“É um projeto que este grupo vem trabalhando já há algum tempo e verificar que a implantação de um Ceasa na cidade é viável e lucrativa nos traz ainda mais confiança na busca por este investimento. Com este estudo finalizado, vamos agora levar a proposta ao Governo do Estado e buscar os caminhos para tirar o projeto do papel. Nosso desejo é poder ver a unidade de Ponta Grossa do Ceasa em funcionamento já no próximo ano”, declara o prefeito Marcelo Rangel.

O estudo de viabilidade econômica e financeira da unidade do Ceasa em Ponta Grossa foi elaborado pelo grupo de trabalho já com as projeções do Centro de Distribuição, tanto a parte da estrutura física do local, como também a estimativa de investimentos necessários, receitas mensais e custos operacionais. O modelo projetado para este Centro de Distribuição seria o primeiro do país, com uma estrutura que contemplaria mais do que espaço apenas para compra e venda de alimentos, mas também um anfiteatro para eventos técnicos e uma área denominada Espaço de Ciência e Tecnologia, com foco na organização de pesquisas para visitações públicas.

“A efetivação desse projeto será um momento histórico para a região dos Campos Gerais. Por isso, pensamos em um Ceasa com uma nova proposta, desenvolvido nos mesmos moldes de países de primeiro mundo. Além de não ser apenas um espaço para distribuição de alimentos, também queremos viabilizar o Ceasa Digital, permitindo que o produtor não precise necessariamente ter um box no local, mas possa também comercializar diretamente de sua propriedade. E este sistema será desenvolvido gratuitamente pela Celepar [Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná]”, adianta o diretor regional do Sebrae, Joel Franzin.

Estrutura e metas

O projeto prevê a implantação do Centro de Distribuição em uma área de 5.400 m², com 40 boxes de 48 m², além do espaço conhecido como ‘área de pedras’, espaços menores sem estrutura fixa, com capacidade para até 400 produtores de hortaliças e frutas em dois períodos ao dia. O local também deve contar com uma área administrativa, de 900 m², divididos em três pavimentos, com setor bancário, comercialização de insumos, departamento administrativo, escritório Emater e um auditório para palestras, apresentações e treinamentos.

O estudo de viabilidade também prevê algumas metas para o Ceasa – Unidade de Ponta Grossa, nesse modelo inovador, como o desenvolvimento de um aplicativo para levantamento diário de preços e quantidades, de forma a reduzir as inconsistências dos números do sistema e também promover eventos anuais.

Viabilidade
O resultado dos estudos indica que com os investimentos programados, o Ceasa em Ponta Grossa apresentará lucratividade de 35,43% ao ano, com uma taxa de retorno de 9,60%, superior a taxa mínima (6,50%), e um Prazo de Retorno do Investimento (PRI) simples de oito anos. O Ponto de Equilíbrio Operacional será de 71,01% do faturamento anual projetado, ou seja, o Ceasa precisa atingir esse percentual de produção para cobrir todos os custos sem prejuízo.

“O levantamento mostra que tem viabilidade de fazer essa estrutura em Ponta Grossa, beneficiando toda região. Um projeto como esse será de benefício a todos os produtores, fomentando a produção e fomentando a comercialização. Todos os produtores terão oportunidade de melhorar sua produção, aumentar a sua renda, e também garantir a fixação desse pessoal no campo, melhorando as condições de vida no meio rural”, aponta o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, Ivonei Afonso Vieira.

Presenças

Além das autoridades já citadas, também estiverem na reunião o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Miguel Sanches Neto; o juiz federal integrante do Movimento Campos Gerais de Igual para Igual, Antonio Cezar Bochenek; o vereador Rudolf Polaco; o representante da Acipg, Paulo Veiga; o presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Wilson Oliveira; o vice-presidente do Sindicato Rural, Carlos Madureira; o representante da Sociedade Rural, Roberto Nascimento; o chefe regional da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento; Marcelo Ferreira Hupal; Romualdo Suita, representante da associação de hortifruti; e demais autoridades e representantes.

O projeto da unidade do Ceasa em Ponta Grossa é uma parceria entre: Prefeitura de Ponta Grossa; Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento; Central de Abastecimento do Paraná (CEASA); Emater/IAPAR; Sebrae PR; Associação dos Municípios dos Campos Gerais; Cooperativas Agropecuárias dos Campos Gerais; Cooperativas de Crédito dos Campos Gerais; Sindicato Rural; Sociedade Rural; Acipg; Senar/Faep/Contag; UEPG; Cescage; Unicesumar; Organizações de Classe dos Engenheiros Agrônomos e dos Veterinários; e Associação Paranaense de Supermercados. (Com assessoria)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts