Destaques

‘Ambulante Legal’ contribui para o mapeamento do setor em PG

Nesta semana, o secretário Municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional (SMICQP), José Loureiro, e a equipe da secretaria apresentaram ao prefeito Marcelo Rangel um balanço do cadastramento dos ambulantes no município, que deve basear o projeto Ambulante Legal. O programa tem como objetivo formalizar e qualificar profissionalmente os trabalhadores da área e oferecer melhores condições de trabalho.

De acordo com o coordenador de administração da SMICQP, Nilton Bahls, o cadastramento permitiu mapear e traçar um perfil dos ambulantes no município. “Com os dados conhecemos a escolaridade, renda, benefícios, registro de trabalho e a formalização como Microempreendedor Individual (MEI). Estas informações vão contribuir na orientação geral e na qualificação da área. A ideia é nos aproximarmos destes trabalhadores para que possamos desenvolver atividades voltadas ao setor”, afirma.

Os ambulantes tiveram todo o mês de fevereiro para realizarem o registro. Ao todo, 675 trabalhadores se cadastraram, destes, 442 já estão no projeto Ambulante Legal. O número é superior à expectativa inicial da Secretaria, que pretendia cadastrar de duzentos a trezentos ambulantes. Dentre os cadastrados, o ramo com maior número de trabalhadores registrado é o alimentício.

A SMICQP trabalha agora no mapeamento do setor para iniciar as ações específicas do programa, além de trabalhar na produção de kits de identificação, compostos por crachá, boné e camiseta ou colete para benefício dos ambulantes e, também, da população que consome os produtos.

De acordo com o secretário José Loureiro, a formalização dos ambulantes vai “aprimorar o atendimento dos trabalhadores e, consequentemente aumentar a lucratividade, gerando mais renda para o setor”. Ainda no primeiro semestre de 2019 os cadastrados no Ambulante Legal iniciarão o processo de qualificação. (Com assessoria)

Confira outros Posts