Destaques Política

Derrubada ‘denúncia política’ contra Rangel que constrangeu vereadores e servidores do HC

  1. Derrubada por unanimidade, com nenhum voto favorável em plenário. Esse foi o resultado da votação, nesta quarta-feira (27), de uma denúncia apresentada na Câmara pelo vereador George de Oliveira (PMN) contra o prefeito Marcelo Rangel (PSDB). O parlamentar alegava que o prefeito teria entregue as obras de reforma e melhorias no Hospital da Criança, na última sexta-feira (22), sem estarem em pleno funcionamento. Uma lei de 2013 veda que obras sejam entregues sem o pleno funcionamento.

Entretanto, nos discursos que anteciparam a votação, muitos vereadores, inclusive aqueles com formação jurídica, apontaram para a fragilidade da denúncia, com falta de fundamentos que a justificassem. Assim, a denúncia foi encarada pela maioria dos parlamentares muito mais como política do que técnica, tendo em vista a evidente inimizade existente entre Rangel e George, que chegou a ser líder do governo no início do primeiro mandato do alcaide, mas que rompeu após desavenças políticas ocorridas nas eleições de 2014.

Constrangimento

  1. O vereador João Florenal frisou em seu discurso o constrangimento entre os vereadores por terem que debater uma denúncia infundada, que tem como pano de fundo o Hospital da Criança, referência no atendimento infantil nos Campos Gerais. “Não é possível que picuinhas pessoais coloquem os vereadores em uma situação de constrangimento. O que está sendo feito no Hospital da Criança tem que ser enaltecido e não virar alvo de denúncia para cassação do prefeito”, declarou.

O líder do Governo na Casa, Rudolf Polaco (PPS), lamentou o que chamou “de perda de tempo” na discussão de uma denúncia infundada. Ele ressaltou que não houve qualquer tipo de prejuízo na entrega das obras, que foram financiadas, em sua maioria, com recursos privados, da Justiça Federal e emenda parlamentar. Rudolf ressaltou que a data de entrega das obras foi definida para atender a agenda de empresários parceiros do projeto que tem reestruturado o HC, sem qualquer prejuízo para quem procurou atendimento no local.

Nem mesmo a oposição

A denúncia não convenceu nem mesmo os vereadores de oposição, acostumados a criticarem o prefeito, mas que não ‘embarcaram’ na briga pessoal travada por George contra Rangel na Câmara. O vereador e advogado Pietro Arnaud (Rede) foi enfático ao dizer que não havia embasamento jurídico na denúncia. Mesmo pensamento exposto por vários outros parlamentares em seus discursos. Até mesmo vereadores como Jorge da Farmácia (PDT) e Ricardo Zampieri (PSL), ferrenhos opositores, não se sentiram à vontade para votar favorável à denúncia.

George tentou angariar apoio entre os demais pares antes da votação, mas sem êxito. Ele rebateu as críticas de que a denúncia teria caráter político. “As leis foram feitas para serem cumpridas, e é isso que estamos cobrando com essa denúncia, cumprindo com nosso dever de fiscalizar”, explicou George.

Protesto

A discussão da denúncia foi acompanhada na Câmara por servidores do HC, integrantes da Associação dos Amigos do Hospital da Criança (AAHC), representantes do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, e pela secretária municipal de Saúde, Ângela Pompeo.

Muitos deles estavam com nariz de palhaço em protesto ao que presenciavam no Legislativo. Enquanto discursava na tribuna, George foi vaiado e contestado pelos presentes, que se sentiram ofendidos com a denúncia, diante de todo o esforço entre Poder Público, Justiça Federal, Ministério Público Federal e iniciativa privada, para colocar em prática o projeto de reestruturação do Hospital da Criança. O vereador chegou a bater boca com representantes do HC.

 

Confira algumas imagens de como ficaram as obras no Hospital da Criança:

 

Confira outros Posts