Destaques Ponta Grossa

Hospital Municipal inicia nova fase com obras no setor ortopédico

Moradores de Ponta Grossa já perceberam as mudanças que estão acontecendo nas estruturas ligadas à saúde da cidade. Desde construção de novas Unidade Básicas de Saúde (UBS), reformas e ampliações nos prédios, até a reestruturação do Hospital Municipal da Criança João Vargas de Oliveira. Esses são alguns exemplos e agora chegou a vez de reformar o Hospital Municipal Amadeu Puppi. A partir desta terrça-feira (15) a Ala Amarela começará a receber melhorias, este local é responsável pela ortopedia de média complexidade, sendo referência na região.

A estrutura que entra em reforma conta hoje com 18 leitos regulares e dois de isolamento, todos para pacientes cirúrgicos ortopédicos. Passam por lá cerca de 120 pessoas por mês. “A população pode ficar despreocupada, nós não vamos fechar a Ala, tão pouco diminuir o atendimento. Ninguém será prejudicado, estamos nos organizando e remanejando, através da adequação nos setores de internamento. A medida está sendo tomada para causar o menor impacto no atendimento”, destaca a diretora do Hospital, Karin Agner.

A previsão de conclusão desta primeira etapa da obra é de 90 dias, o que pode variar conforme as condições climáticas. Neste período a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) trabalhará com o apoio de outras unidades hospitalares e serviços de urgência.

“Já enviamos um oficio informando todos os serviços de apoio, Samu, Hospitais, Central de Regulação do Estado e 3ª Regional de Saúde, para que todos estejam cientes e preparados para receber pacientes, caso haja necessidade”, explica a secretária municipal da SMS, Angela Pompeu. Ela também lembra a população que todos podem contar com o apoio da Unidade de Pronto Atendimento Santa Paula (UPA). “É um serviço de qualidade, que está de portas abertas para todos os moradores, principalmente em situação de urgência e emergência. Os cidadãos podem se dirigir até lá durante este período também”.

Recursos

A obra que será realizada no setor de internamento cirúrgico ortopédico, custará R$ 370 mil, recursos intermediados pela Associação Pró Pronto Socorro (Aprós) e repassados pela Justiça Federal. “Extremamente importante essa obra para melhor acomodação dos pacientes, conforto e segurança. Além de garantir melhores condições de trabalhos para as equipes de profissionais”, comenta Angela.

Esta é a primeira fase da reestruturação do Hospital, porém já estão feitos projetos para outras áreas. Hoje a estrutura atende cerca de 15 mil pessoas por mês. “Iniciamos pela Ala Amarela por se tratar do setor mais antigo do Hospital, mas as próximas etapas serão ligadas à reconstrução das enfermarias que não serão mais coletivas, passando a ser quartos de dois leitos e banheiro privativo. Também, em outra etapa, vamos construir o novo setor de imagem, ampliação da emergência, readequação do Pronto Atendimento”, esclarece Karin. (Com assessoria)

Confira outros Posts