Desde 2007, a cidade de Ponta Grossa conta com um programa que incentiva a produção de alimentos na agricultura familiar, a destinação correta de materiais recicláveis e o consumo de produtos saudáveis. Trata-se do Feira Verde, projeto que propicia a troca de materiais recicláveis por hortifrútis em diferentes pontos da cidade.

Pertencente a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA) da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, o Feira Verde atua com 153 produtores cadastrados e ativos, que comercializam 24 produtos de diferentes especialidades. De acordo com o contrato realizado com os produtores, os alimentos precisam obedecer a critérios técnicos, que são fiscalizados pelos agentes responsáveis.

Em 2018, o programa fechou com saldo positivo em relação ao número de atendimentos e de reciclagem. De fevereiro a novembro, 914 mil quilos de alimentos foram entregues nos 79.114 atendimentos, alcançando em média 240 mil pessoas. Com o total de atendimentos realizados no ano, 2.913 toneladas de materiais recicláveis deixaram de ser enviados ao aterro sanitário da cidade e foram destinados às quatro associações que participam do programa e que promovem a finalidade correta.

Três aspectos

Para o secretário da SMAPA, Ivonei Afonso Vieira, o sucesso do Feira Verde consiste no atendimento à população a partir de três aspectos. “O primeiro é a manutenção da agricultura familiar, fomentando a produção de hortifrútis. O segundo ponto é o serviço prestado, ao fornecer alimentos saudáveis de forma acessível a toda comunidade. Além disso, tem a questão ambiental, já que o lixo sai do meio ambiente e se torna material reciclável nas associações, gerando renda também para esses trabalhadores”, afirma.

Ao todo, a população pode realizar as trocas em 154 pontos distribuídos em toda à cidade, por onde circulam seis caminhões, divididos em três equipes. A partir de fevereiro de 2019, quando o Feira Verde retorna às atividades, os materiais recicláveis poderão ser trocados por vale transporte, a partir do programa “Passe Verde“, aprovado na última semana. No projeto, a cada oito quilos de reciclável, uma passagem é convertida e que pode ser utilizada no transporte coletivo municipal. (Com assessoria)

Confira outros Posts