Foi realizada na tarde desta segunda-feira (10), na sede da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (AEAPG), a segunda reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa (CDEPG), onde foram discutidos dados e indicadores da cidade para contextualizar o início da produção de mecanismos que visem impulsionar todos os setores do município.

Durante o encontro, o prefeito e secretário de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Marcelo Rangel, apresentou informações obtidas pela Prefeitura e pelo mapeamento do ecossistema de inovação, projeto realizado pela administração municipal e Sebrae.

“Precisamos pensar em formas de manter os investimentos na cidade. Sempre que converso com os empresários levanto esse ponto, por exemplo, pedindo que eles façam suas compras e contratem funcionários e serviços de Ponta Grossa para o dinheiro continuar girando no município”, aponta Rangel.

Após a explanação dos dados, o grupo de conselheiros, que inclui representantes da iniciativa privada, instituições e administração pública, debateu as informações e já marcou a próxima reunião, que deve ter como tema o regimento interno do CDEPG – o encontro será no dia 18 de fevereiro na sede do Sebrae. A reunião foi transmitida ao vivo pelo Facebook da Prefeitura de Ponta Grossa e pode ser acessada na página oficial da instituição: https://www.facebook.com/PrefeituraPontaGrossa.

Dados

Entre os índices apresentados estiveram os valores adicionados da indústria, comércio e serviços, números que mensuram o valor das riquezas geradas pelos setores. Tendo como ano-base 2017, a indústria representa 56,53% do Produto Interno Bruto (PIB) de Ponta Grossa referente aos geradores de ICMS, enquanto o comércio é responsável por 22,26%, os serviços 15,75% e a produção primária 5,46% – totalizando R$ 8.336.202.076.

No estado, Ponta Grossa é a quarta colocada no valor adicionado da indústria, ficando atrás apenas de três cidades da região metropolitana da capital: Araucária, Curitiba e São José dos Pinhais. Já no comércio e serviços o município ocupa a sétima posição – e um dos pontos levantados na reunião é como fomentar esses dois setores para aumentar a geração de riquezas.

Também foram apontadas as áreas de oportunidades, identificadas no estudo de inovação; são elas a cadeia do agronegócio, mecatrônica, químico e materiais e tecnologias da informação e comunicação (TIC). O estudo também formulou macroações e propostas de ações para desenvolver a área, focadas na geração de valos para inovação tecnológica, promoção comercial e melhoria no ambiente de negócios. (Com assessoria)

Confira outros Posts