Destaques

Opinião: ‘Dar vida’ ao Aeroporto Sant’Ana é uma ação que precisa ser enaltecida

*Eduardo Farias

Em meio aos avanços pelos quais Ponta Grossa tem passado nos últimos anos, certamente a volta do funcionamento do Aeroporto Sant’Ana é um dos que mais representa essa fase de evolução da cidade. E sobre esse assunto, é preciso enaltecer a atuação da atual gestão municipal. Reinaugurado em junho de 2016, com investimentos que ultrapassaram os R$ 10 milhões, o aeroporto passou a contar com voos regulares depois de quase 15 anos.

A instalação da empresa Azul na cidade é o resultado de um trabalho que começou logo no início do governo do prefeito Marcelo Rangel (PSDB), em 2013, e que vem num processo gradativo de investimentos desde então.

Na semana passada, foi anunciado novo aporte financeiro no aeroporto, com R$ 300 mil via parceria público-privada, para melhorar os equipamentos de segurança em pousos. Na ocasião, o local recebeu certificado definitivo da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que atesta ser um aeroporto seguro. Para o próximo ano, a intenção é aumentar o número de voos da Azul para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Fundamental

A atenção ao Aeroporto Sant’Ana foi fundamental para melhorar o setor de transporte e na atração de novas indústrias ao município, como Ambev, DAF e Madero, que garantem vagas de emprego e aumento na arrecadação de impostos, entre outros benefícios.

Os voos regulares também proporcionam aos ponta-grossenses a comodidade de um acesso direto com o estado de São Paulo, que possui ponte aérea com o mundo todo, sem a dependência de ter que ir a Curitiba. Como sabemos, Ponta Grossa é o maior entroncamento rodoferroviário da região Sul do país, e faltava a viabilização de um aeroporto para ampliar esse leque de opções no setor de transporte.

E para a consolidação da instalação da Azul, registre-se que a atuação do então governo Beto Richa foi preponderante, ao promover incentivo fiscal à empresa via redução no ICMS do diesel.

Atuação parlamentar

Em todo esse processo, também é importante ressaltar a participação dos deputados Sandro Alex (federal) e Plauto Miró (estadual), na destinação de recursos, via governo federal e estadual, respectivamente. Verbas que foram usadas para adequações na pista, reforma do terminal de passageiros, novos equipamentos de aviação, entre outras finalidades. Sandro atuou ainda junto à Anac para agilizar a parte burocrática de autorização para o aeroporto funcionar.

Portanto, ‘dar vida’ ao Aeroporto Sant’Ana é o resultado de um trabalho conjunto idealizado pela atual gestão municipal. Pensamento muito diferente do mantido pelo governo anterior, que não tinha no então prefeito Pedro Wosgrau o mesmo entusiasmo com o tema.

Prioridades e prioridades…

Certa vez, quando apurava informações a respeito do aeroporto, para a editoria de política do Jornal da Manhã, com o então prefeito Wosgrau, ele confessou que não tinha o funcionamento do aeroporto como prioridade. Para ele, colocar dinheiro público no local seria desperdício, que na sua visão beneficiaria apenas “meia dúzia de empresários”.

Dentro dessa perspectiva, ao longo dos oito anos dos dois últimos mandatos de Wosgrau (2005 a 2012), o aeroporto foi deixado em segundo plano. Claro que a gestão Wosgrau também teve seus méritos para a cidade, mas não quando o assunto é o aeroporto.

Assim, fica o registro de enaltecer a posição adotada por Rangel e sua equipe para o funcionamento do Aeroporto Sant’Ana, elemento de extrema importância para a Ponta Grossa do futuro!

*Eduardo Farias é jornalista editor do Doc.com

Foto: aRede

Confira outros Posts