Destaques Mais Notícias Ponta Grossa Últimas Notícias

Ações da Guarda Municipal resultam na apreensão de mais de 40 quilos de drogas

De janeiro a junho desse ano, a Guarda Municipal de Ponta Grossa apreendeu mais  de quarenta quilos de drogas durante ações  na cidade. A última delas, realizada na última quarta-feira (20), em Uvaranas, pela equipe bravo do Grupamento Especial Tático com Apoio de Motocicletas (Getam) retirou cerca de quatro quilos de maconha e 25 gramas de crack das ruas. Um indivíduo foi preso e encaminhado para a delegacia.

De acordo com o secretário de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP), Ary Lovato, o total de drogas apreendidas até o momento é praticamente dez vezes maior que o registrado durante todo o ano de 2017, quando a Guarda Municipal apreendeu cerca de 4,7 quilos de entorpecentes. Entre os possíveis aspectos relacionados ao aumento dos indicadores, Lovato credita o incremento expressivo das apreensões ao trabalho integrado e ostensivo promovido pelas equipes da GM em Ponta Grossa.

“Nós temos desenvolvido um trabalho muito pautado na melhoria das capacidades técnicas dos agentes, no fortalecimento da nossa estrutura e das boas iniciativas empreendidas nos últimos anos. A criação do Getam, por exemplo, trouxe mais agilidade no atendimento de uma série de ocorrências, agregando positivamente às ações das outras equipes da Guarda Municipal. Além disso, a troca de informações com outras forças de segurança e o trabalho cotidiano de todos nossos agentes nas ruas, aliado à vigilância da nossa Central de Monitoramento trouxeram uma maior efetividade para nossas atividades, o que resultou, entre outras coisas, no aumento do volume de drogas apreendidas”, declara Lovato.

Eficiência

Além dos aspectos apontados pelo secretário da SMCSP, o levantamento de dados e a otimização das ações de patrulhamento, segundo o comandante da GM, Edson Witek, também têm contribuído para a maior eficiência das equipes em campo.

“Todas as atividades promovidas com base na melhoria da eficiência das equipes são estudadas junto à Secretaria e aplicadas no intuito de oferecer mais segurança para a população. Um desses pontos é o levantamento de dados dos nossos registros de ocorrência, que acabam oferecendo suporte para a definição dos pontos estratégicos para as ações ostensivas das equipes.  Outro fator importante é a constante atenção da nossa Central de Monitoramento ao acionar as viaturas,  sempre buscando a equipe mais próxima e, dessa forma, contribuindo para uma ação mais rápida e eficiente no atendimento à população”, explica Witek.

Tecnologia

“A utilização da tenologia no atendimento à população tem sido um dos fatores essenciais para o desenvolvimento das ações da Guarda Municipal”. É o que explica o diretor do departamento de tecnologia da SMCSP, Carlos Henrique Salomon.  Segundo ele, o ajuste na metodologia utilizada pelas equipes de monitoramento e a experiência dos agentes tem sido determinantes na vigilância e identificação de ações criminosas através das 36 câmeras de monitoramento espalhadas pela cidade.

“Nós conseguimos passar de cerca de 1800 visualizações por ano, em 2016, para uma média de 1500 visualizações por mês, em 2018, e isso acaba sendo refletido no trabalho das equipes em campo, que acabam tendo na nossa Central de Monitoramento o apoio necessário para a identificação de ações criminosas, em especial de tráfico, que antes seriam mais difíceis de serem flagradas”, aponta.

De acordo com o secretário Ary Lovato, a possibilidade da visualização das situações de tráfico e a gravação dessas atividades possibilita uma base sólida para o encaminhamento dos criminosos à delegacia e a consequente punição. “Como existe uma linha muito aberta a interpretação legal sobre o que pode ser configurado como tráfico ou não, acaba havendo uma dificuldade muito grande em se comprovar o intuito criminoso do cidadão e, por isso, as câmeras da Central de Monitoramento são imprescindíveis, pois suas gravações servem como provas desses crime”, finaliza Lovato.

Confira outros Posts