Destaques Mais Notícias Política Ponta Grossa Últimas Notícias

George cobra Judiciário no ‘caso VCG’ e diz que ‘guerra’ com empresa vai continuar

O vereador George Luiz de Oliveira (PMN) voltou a criticar a Viação Campos Gerais (VCG) na sessão desta quarta-feira (20) da Câmara, a exemplo do que ocorreu na segunda-feira – ver matéria. Na tribuna da Casa, o parlamentar começou seu discurso com uma cobrança em cima do Poder Judiciário.

Segundo ele, embora respeite a independência dos Poderes, entende que a Justiça deixa a desejar em assuntos investigados pelos vereadores. Ele citou como exemplo o resultado de uma Comissão de investigação na área da Saúde, ainda no seu primeiro mandato, em que dados foram levados ao Ministério Público e que as situações averiguadas ficaram sem respostas.

No momento, George pediu ao Judiciário publicamente que julgue o pedido de liminar na ação que propôs para a redução no valor da tarifa do transporte coletivo em Ponta Grossa, baseado na redução de R$ 0,46 no preço do óleo diesel.

“Não estou afrontando o Judiciário, de maneira nenhuma, até porque eu respeito a independência dos Poderes, mas também queremos respeito, pois muitas CPIs e CEIs conduzidas pela Câmara ficam sem respostas. No caso do valor da passagem, precisamos ter uma decisão do Judiciário, ou acata a liminar ou não acata, e se não acatar, saberemos explicar para a população os motivos de não vermos a tarifa abaixar mesmo depois de uma redução do diesel”, argumentou, enfatizando que é papel constitucional da Câmara fiscalizar e também cobrar os demais Poderes – Executivo e Judiciário. George pediu o apoio dos demais parlamentares na cobrança por uma decisão do Judiciário.

De acordo com o vereador, a Câmara precisa parar de passar vergonha, de realizar trabalhos de fiscalização e não resultar em ações efetivas. Ele também pediu maior responsabilidade dos promotores. “Peço aqui publicamente. Por favor Promotoria da Fazenda Pública, se manifeste, ou vamos dar de presente os seis centavos que precisam ser reduzidos da passagem com a redução do diesel?”, questionou.

O diretor da VCG, Luciano Gulin, também voltou a ser criticado por George, que alegou novamente que a empresa explora a população ponta-grossense. “Quem começou essa guerra foi o senhor Luciano Gulin, e ela foi aceita por este vereador. Vamos ver quem ganhará essa queda de braço. Vamos ver se a Justiça será maior que o dinheiro, a ganância e a arrogância desse cidadão”, afirmou.

Outro lado

O Doc.com procurou a VCG para um posicionamento em relação às críticas feitas por George. Em nota, a assessoria de comunicação da empresa informou o seguinte: “Nossas discussões serão na Justiça. É um ano eleitoral e a VCG não vai servir de palanque”.

George alega que a redução de R$ 0,46 no diesel acarreta, no mínimo, numa redução de R$ 0,06 no preço da tarifa. A empresa contesta, justificando que o valor do diesel atualmente, mesmo com a redução, é o mesmo da época em que foi efetuado o reajuste neste ano. Caberá ao Judiciário decidir se acata ou não a liminar até o julgamento do mérito do processo.

Confira outros Posts