Política Ponta Grossa

Demora para atendimento do IML repercute na Câmara

A demora de cerca de 7 horas para o recolhimento por parte do Instituto Médico Legal (IML) do corpo do jovem Myke Stresser, vítima de assassinato na madrugada da última sexta-feira (09), em Uvaranas, repercutiu na sessão desta segunda-feira (12) da Câmara. O representante do bairro, João Florenal (Podemos), classificou a situação como “lamentável” e solicitou o empenho do Município e do Estado para dar maior estrutura ao IML e investir na segurança pública.

Segundo Florenal, ao procurar informações acerca dos motivos que levaram à demora, ouviu que a viatura da IML estava sem motorista. “Não é possível que uma família espere 7 horas para ter o corpo de um jovem conduzido ao IML por falta de motorista. Temos que mudar essa realidade”, declarou o vereador, que sugeriu ao prefeito Marcelo Rangel (PPS) coloque um servidor municipal à disposição do IML para conduzir as viaturas.

Outro que comentou a situação foi Celso Cieslak (PRTB). Ele enfatizou que a responsabilidade por dar estrutura ao IML é do Governo do Estado, que precisa, além de contratar médicos e motoristas, enviar auxiliares de necrópsia para o IML. “O IML tem 4 viaturas e 2 motoristas, e não possui auxiliar de necrópsia”, reclamou Cieslak.

Familiares farão protesto

Familiares e amigos de Myke Stresser organizam um protesto contra o IML de Ponta Grossa, que levou sete horas para remover o corpo do motoboy da Avenida Carlos Cavalcanti na última sexta-feira (9). A manifestação está agendada para a próxima sexta-feira (16) e, além de exigir melhores condições no IML, vai pedir justiça pelo assassinato do jovem.

Mais de cem pessoas são esperadas no protesto. A tia de Myke, Simone Stresser, conta que os motoboys farão um trajeto de Oficinas até o viaduto da Avenida Carlos Cavalcanti, onde o corpo de Myke amanheceu sem que houvesse a remoção à sede do IML de Ponta Grossa. “A gente vai pedir por justiça, para que a polícia continue investigando e não caia no esquecimento, e a gente vai falar também sobre a demora do IML em retirar o corpo devido à falta de profissionais no órgão”, diz.

Myke foi assassinado na madrugada de sexta-feira (9), por volta de 1 hora. Ele foi baleado no tórax e caiu da moto na calçada do viaduto próximo ao campus de Uvaranas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O corpo foi removido pelo IML por volta das 8 horas. Os responsáveis pelo homicídio ainda não foram identificados. (Com informações do Portal aRede!)

Confira outros Posts