Política Ponta Grossa

Polo de Confecções de Ponta Grossa ‘sai do papel’ com sete empresas e investimentos de R$ 2,5 milhões

Na tarde desta terça-feira (12), a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, através da Secretaria de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, relançou o Parque de Confecções com a assinatura de sete projetos de lei para a doação de áreas a empresas do setor. Juntos, os projetos preveem o investimento de pelo menos R$ 2,5 milhões e a geração de 176 empregos diretos.

Segundo o coordenador municipal de Desenvolvimento Industrial, Comercial e Tecnológico, Adilson Strack, a intenção é que, ao concentrar todas as empresas em um só espaço criando o parque, o ramo se desenvolva e transforme Ponta Grossa em um polo de confecções. “Assim como hoje somos destaque em setores como o metal mecânico e o cervejeiro, por exemplo, com a consolidação do parque podemos ser referência em confecções”, analisa Strack.

Empregos

O coordenador também destaca a geração de empregos como uma das principais características desse meio. “Entre as contrapartidas para a doação dos terrenos prevemos pelo menos 176 vagas diretas. Porém, esse número pode chegar a mil nos empregos indiretos – que são, predominantemente, voltados ao público feminino”, estima Adilson Strack.

Todos os projetos já foram aprovados pela Comissão de Desenvolvimento Industrial (Codesi) por preencherem todos os requisitos previstos no Programa de Desenvolvimento da Indústria Têxtil, e agora seguem para aprovação da Câmara dos Vereadores.

Também esteve presente mais um empresário interessado em investir na área, totalizando oito empreendimentos previstos para o Parque de Confecções, que, segundo o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, tem capacidade para 21 empresas.

“Este foi mais um desafio da nossa pasta, que agora, após a decisão judicial favorável ao Município em relação à posse do terreno, consolida mais este grande projeto que irá desenvolver um novo setor em Ponta Grossa”, ressaltou Carbonar, entregando o documento de certidão de imóvel ao prefeito Marcel Rangel.

Investidores de PG

Na ocasião, Rangel lembrou que todos os investidores são ponta-grossenses. “Nos últimos anos o nosso Distrito Industrial recebeu diversas multinacionais e empreendimentos de outras cidades, mas é muito gratificante ver também que o empresariado local aposta em Ponta Grossa e confia na nossa cidade para o desenvolvimento do seu negócio”, aponta o prefeito.

Também participaram da cerimônia a vice-prefeita e presidente da Fundação Municipal de Turismo, Elizabeth Schmidt, os empresários contemplados nos projetos de lei, autoridades municipais, os vereadores Divo, representando a Câmara Legislativa, e Victor Hugo, além de representantes dos edis Professora Rose, Dr. Magno e Mingo Menezes.

Projetos de Lei

A área em que será instalado o parque fica na Colônia Dona Luíza, na região do Santa Luiza, às margens da BR-376. As empresas contempladas nos projetos de lei para a doação de terrenos podem ser conferidas a seguir.

– Fernando Brasil Soares e Cia Ltda – Investimento de R$ 800 mil e geração de pelo menos 30 empregos diretos

– Luciane Aparecida Klimeck – Investimento de R$ 150 mil e geração de pelo menos 13 empregos diretos

– Saimon Daniel Jansen ME – Investimento de R$ 160 mil e geração de pelo menos 35 empregos diretos

– A. M. Jansen e Cia Ltda – Investimento de R$ 160 mil e geração de pelo menos 45 empregos diretos

– Richardt e Richardt Ltda – Investimento de R$ 500 mil e geração de pelo menos 30 empregos diretos

– Luiz Carlos Pinheiro Ponta Grossa ME – Investimento de R$ 150 mil e geração de pelo menos 13 empregos diretos

– E. Mainardes Júnior Eireli – Investimento de R$ 600 mil e geração de pelo menos 10 empregos diretos.

(Fonte: PMPG)

 

Veja a entrevista com o prefeito Marcelo Rangel sobre o Polo de Confecções e outros temas relevantes para Ponta Grossa:

Confira outros Posts