Política

Dezenove empresas participam de licitação para Maternidade

Dezenove empresas entregaram na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) a documentação para participar da licitação que irá definir a responsável pela construção da Maternidade Pública dos Campos Gerais. A abertura dos envelopes ocorreu nesta quarta-feira (18), na sala de licitações da universidade, e contou com a presença de representantes das empresas. A maternidade pública é resultado da indicação de uma emenda individual de R$ 4 milhões do deputado federal Aliel Machado (Rede).

De acordo com o presidente da comissão de licitações da UEPG, Paulo Redkva, essa foi a fase da abertura dos envelopes com os documentos exigidos no edital. Agora, a licitação entra em nova fase, que é a de análise da documentação, que será feita pelos departamentos responsáveis. Eles irão analisar também a saúde financeira das empresas e a capacidade em realizar a obra. Somente após esse processo é que irá se conhecer quais construtoras estarão habilitadas a participar da abertura das propostas.

Necessidade

Para Aliel Machado, essa foi mais uma importante fase para a concretização do projeto. “A maternidade é uma necessidade para Ponta Grossa e região. Será a primeira maternidade pública do município. Ficamos felizes em contribuir com a saúde, principalmente nessa fase tão bonita que é a do nascimento de uma criança. O Regional cumpriu todas as etapas e está nos ajudando a realizar esse sonho”, comemorou.

Segundo a direção do hospital, a nova ala terá dois pavimentos, com área total de 1,3 mil metros quadrados, contendo 20 leitos (10 quartos), sala para atendimento de emergência e consultórios obstétricos. Além do prédio principal também está prevista uma ampliação de 481 metros quadrados de área para estacionamento. Toda a calçada de acesso ao Regional será refeita para eliminar irregularidades, incluir novas rampas no meio fio e colocação de piso podotátil, para acessibilidade.

Proximidade

A proximidade da maternidade com o Hospital Regional é fundamental por conta da disponibilidade dos leitos de UTI neonatal daquela instituição. No início do ano, a convite do ex-prefeito Jocelito Canto, Aliel se reuniu com diretores do Regional. Na ocasião, foi passado um estudo do que seria preciso para a realização do projeto e a sua necessidade para a comunidade. Jocelito, que já havia conquistado o Regional, frisou também a importância da maternidade.

Segundo Aliel, após a reunião, fatos novos comprovaram a urgência de uma maternidade pública em Ponta Grossa. “Acompanhamos o sofrimento de mães de toda a região, muitas que infelizmente perderam seus bebês por falta de atendimento adequado. O vereador Pietro (Rede) também viu de perto o sofrimento de algumas mães através da CEI das Maternidades e me passou um levantamento, que reforçou a necessidade de uma maternidade pública”, revelou o Aliel. (Fonte: assessoria)

Confira outros Posts