Ponta Grossa

Projeto do EstaR Eletrônico começa a tramitar na Câmara

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa enviou nesta terça-feira projeto de lei para regulamentar a instalação do EstaR eletrônico em Ponta Grossa. A medida altera a lei 3.573/1983, que dispõe sobre as vagas de estacionamento regulamentado (EstaR) no município e a maneira de tarifação empreendida pelo poder público, permitindo a utilização de meios eletrônicos para esse fim. Atualmente, Ponta Grossa conta com 4.624 vagas de estacionamento regulamentado, divididas em 52 ruas da cidade.

“É uma proposta que moderniza o estacionamento regulamentado em Ponta Grossa e o equipara ao que já é praticado em outras cidades do país. Estamos, mais uma vez, sendo a vanguarda na região dos Campos Gerais e tenho certeza de que isso será uma enorme mudança positiva para todos os motoristas do município”, declara o prefeito Marcelo Rangel.

Licitação

De acordo com o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), Roberto Pellissari, com a aprovação do projeto pela Câmara, a AMTT abrirá licitação para contratação de uma empresa habilitada a realizar os processos de implantação do sistema no município.

“Com a conclusão da licitação, nossa previsão é de que o sistema esteja em pleno funcionamento em 60 dias. É importante frisar que, todo o processo de migração dos bloquetos para o EstaR eletrônico será feito de forma gradual e realizado com orçamento já previsto da própria AMTT”, diz Pellissari.

Como funciona?

O presidente da AMTT também conta que, uma vez implantado, toda a transação será realizada em ambiente eletrônico, agilizando a rotina dos motoristas. “O sistema funcionará com a utilização de um aplicativo para celular, onde o motorista terá um cadastro e créditos adquiridos por moeda digital. Após estacionar, o motorista escolhe e tempo de utilização, exatamente como hoje, e o aplicativo debita automaticamente o valor e encaminha uma listagem com a localização dos automóveis ao sistema da AMTT, dessa forma, os agentes podem realizar a fiscalização das vagas”, explica. (Fonte: PMPG)

Confira outros Posts