Ponta Grossa

Ponta Grossa terá ‘Festival de Churros’ entre 4 e 6 de agosto

Ponta Grossa recebe de 4 a 6 de agosto o Festival de Churros. O evento acontece na Estação Saudade, na Praça João Pessoa, e vai reunir mais de 30 opções da iguaria, desde o tradicional churros até o requintado cone com sorvete, coberturas, granulados e especiarias. Os preços variam entre R$ 5 até R$ 30.

“A ideia é simples: juntar mais de 20 operações de churros que vão comercializar mais de 30 opções que vão desde o tradicional churros de doce de leite até o requintado cone de churros com sorvete, coberturas, granulados e especiarias, passando por outras delícias como bolo de churros, cheesecake de churros, churros salgados e muito mais”, destaca Raphael Albini, da RT Eventos, que já comandou mais de 40 festivais gastronômicos em diversas cidades do Brasil.

Outras opções

Além dos churros, haverá opções de pratos da gastronomia artesanal, como hambúrguer, comida mexicana, pizzas, batatas assadas, crepes franceses, dentre outros preparos.

Na parte cultural, o Festival de Churros terá shows ao vivo e diversão para as crianças com área kids e espaço para quem gosta de passear com o animal de estimação. A entrada sempre é gratuita. Mais informações no no Facebook oficial do evento.

Iguaria

O churros é uma iguaria que existe há muitos séculos. Sua origem é incerta. Alguns dizem que foram os portugueses que trouxeram a receita, quando voltavam da China na época da dinastia Ming. Outros dizem que foram os árabes que a trouxeram, quando invadiram a península ibérica. Outros ainda, afirmam que foram os pastores espanhóis que inventaram a receita, porque era fácil de fazer no alto das montanhas onde eles não conseguiam obter pão fresquinho e outros produtos de padaria.

Qualquer que seja sua origem, o churros, agora, é considerado tipicamente espanhol. Também é popular na América Latina, França, Portugal, Estados Unidos, México, Venezuela, Colômbia e nas ilhas Caribenhas de língua espanhola. Em vários destes países é consumido no café da manhã com uma xícara bem quente de chocolate ou com café com leite, e, ao contrário do Brasil, sem recheio.

É preparado com massa à base de farinha de trigo e água, em formato cilíndrico injetada numa espécie de seringa de metal grande e enviada para a forma de fritar, o que lhe confere seu aspecto estriado. Após ser frito em óleo vegetal, em seguida é mergulhado no açúcar (opcionalmente misturado com canela). Parece um spaghetti mais gordinho ou uma grande espiral. Em várias regiões o nome é diferente: em Sevilha é chamado de calentito, em Jaén de tallo e em Granada de tejeringo. Mas a palavra “churros” é a mais conhecida. (Fonte: assessoria)

Confira outros Posts