Política Ponta Grossa

Ainda em 2017, concessão do Centro de Eventos pode chegar a 20 anos e exigirá anfiteatro

O Centro de Eventos de Ponta Grossa deve ser alvo de uma concessão ainda neste ano. O Governo Municipal estuda projeto neste sentido desde março, conforme antecipou o Doc.com, em fevereiro (ver matéria). A Procuradoria Geral do Município deu o aval e a concessão está em avaliação pela Secretaria Municipal de Planejamento. A expectativa do prefeito Marcelo Rangel (PPS) é de que o projeto seja enviado à Câmara nos próximos meses. A concessão deve chegar a 20 anos com várias exigências de investimentos para a empresa vencedora da licitação.

De acordo com o procurador-geral do Município, Marcus Freitas, o Centro de Eventos custa muito caro à Prefeitura. Além disso, uma concessão é encarada como o melhor caminho para ampliar a estrutura do local sem custo para o Município. “O Centro de Eventos tem um custo alto, e como o valor cobrado pela locação é baixo, acaba não se sustentando”, explica Freitas.

Aluguel defasado

O valor do aluguel para uso do Centro de Eventos hoje é de 100 Valores de Referência do Município, o que corresponde a R$ 7.526,00. Cobrança que fica abaixo do preço de mercado em comparação a outros locais de eventos da cidade. Apenas com um dos gastos do espaço, com energia elétrica, são despendidos aproximadamente R$ 600 mil no ano. A média é de R$ 40 mil mensais, mas que se eleva nos meses de München e Efapi.

O trabalho da Secretaria de Planejamento neste momento é de definir os critérios para a concessão. “Vamos ver quanto vale o Centro de Eventos e o que será exigido para a empresa que vier a obter a concessão”, ressalta Freitas.

Exigências: pavilhão, anfiteatro e asfalto

Freitas adiantou que será exigida a revitalização do pavilhão, a construção de um anfiteatro para receber formaturas universitárias e eventos similares, e a pavimentação de todo o espaço. A concessão irá do estacionamento localizado na parte da frente até o portão dos fundos do Centro de Eventos. Não engloba o estacionamento da parte de trás e o Centro Agropecuário.

A ideia é fazer uma concessão aos moldes do Mercado Municipal, que será revitalizado a um custo perto dos R$ 77 milhões com uma concessão de 35 anos, podendo ser renovado por igual período. No caso do Centro de Eventos, o investimento a ser feito deve ser menor. Portanto, o período de concessão também será menor. Segundo Freitas, deve ficar entre 15 a 20 anos. “Além de resolver o impasse com a administração Centro de Eventos, os investimentos a serem feitos pela iniciativa privada vão ajudar a desenvolver toda aquela região”, enfatiza.

“O Município não tem condições financeiras de investir no Centro de Eventos. Existem outras prioridades no momento. Por isso passar o local para a iniciativa privada se mostra uma boa opção”, avalia Freitas, enfatizando que a finalidade do local, de servir para receber eventos, não poderá ser alterada.

Confira outros Posts