Política

Câmara aprova parcelamento de dívida do Município com a Copel

Os vereadores aprovaram nesta segunda-feira (03) o parcelamento de uma dívida de R$ 6,3 milhões do Município com a Copel pelo fornecimento de energia elétrica. A proposta recebeu 13 votos favoráveis, 7 contrários e mais duas abstenções, com uma ausência – o vereador Valtão (Pros) está de licença médica e o suplente ainda não assumiu.

A Prefeitura terá 60 meses (5 anos) para quitar a pendência, com 1% de juros ao mês e 2% em caso de atraso no pagamento. Para a aprovação da matéria era preciso maioria absoluta do plenário, ou seja, de 12 votos. A proposta retorna para segunda discussão na quarta-feira (05).

Juros x facilidade

O projeto rendeu ampla discussão entre os parlamentares. Os contrários à aprovação consideram que os juros que vão incidir sobre a dívida são abusivos, já que o montante total deve superar os R$ 8 milhões. Entretanto, o Governo Municipal defende que o parcelamento da pendência irá facilitar a quitação, uma vez que o pagamento à vista seria inviável financeiramente. A justificativa para a Prefeitura é de que o atraso das contas de luz se deu pela baixa na arrecadação em 2016.

PSDB se absteve

O que chamou a atenção na votação foi o posicionamento de se abster pelos dois vereadores do PSDB, partido que faz parte da base governista. Eduardo Kalinoski e Felipe Passos se abstiveram por considerar que gostariam de ter maiores esclarecimentos em relação aos motivos do atraso na quitação e ao parcelamento a ser feito. Kalinoski, inclusive, pertenceu ao primeiro escalação do Governo Marcelo Rangel durante o mandato anterior, como presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT).

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts