Política

Pietro se irrita com pedido de vistas de Cieslak à emenda sobre cessão de servidores

Foto: Kauter Prado\Câmara

Em meio à segunda votação do projeto que promove emenda à Lei Orgânica do Município (LOM) e permite a cessão de servidores da Prefeitura para atuar em órgãos públicos de fora de Ponta Grossa, o clima ficou tenso entre o autor da proposta, Pietro Arnaud (Rede), e o vereador Celso Cieslak (PRTB). Ocorre que Cieslak pediu vistas de 10 dias ao projeto, para obter mais informações em relação ao número de servidores cedidos e os valores que isso representa aos cofres públicos.

Pietro não gostou nada da iniciativa do colega parlamentar. O vereador da Rede ressaltou que atualmente não é permitido que a Prefeitura faça a cessão de servidores para fora da cidade, e que a indagação de Cieslak deveria se referir à cessão de funcionários públicos dentro do Município, como por exemplo, para a Justiça Eleitoral e à própria Polícia Civil, da qual Cieslak é superintendente.

Foto: Kauter Prado\Câmara

Ganhou proporção

Como a galeria da Câmara estava cheia de professoras da rede municipal, que acompanhavam votação de matéria acerca da área da Educação, o clima tenso entre os parlamentares ganhou proporção.

Pietro desafiou Cieslak a apresentar projeto para acabar com a cessão de servidores da Prefeitura para órgãos dentro do Município, indicando que tal medida poderia provocar muitos descontentamentos.

Cieslak comentou que teve informações de que a cessão de servidores teria custado cerca de R$ 300 mil aos cofres públicos do Município, com mais de 100 funcionários cedidos, em anos passados.

Votação

Quando o pedido de vistas de Cieslak entrou em votação, foi derrubado por 14 votos contra 8, a pedido de Pietro. Posteriormente, o projeto de emenda à LOM foi aprovado por 18 votos contra 5.

Mais tarde, Pietro encaminhou requerimento à Mesa Executiva solicitando a íntegra das falas de Cieslak, bem como o vídeo dos discursos, já que as sessões são transmitidas pela internet e gravadas.

Pressão

Ao final da sessão, coube ao vereador Dr. Magno (PDT) defender o questionamento de Cieslak em relação ao projeto de Pietro e criticou o que chamou de pressão para aprovar matérias em plenário.

Confira outros Posts