Política

Küller sai do PMB após fim do ‘casamento’ com deputado federal Toninho Wandscheer

Na foto Küller posa ao lado de Alisson Wandscheer, presidente estadual do PMB | Foto: Arquivo

Júlio Küller não está mais filiado ao Partido da Mulher Brasileira (PMB). O comunicado foi enviado à imprensa na manhã desta terça-feira (14) e amplamente divulgado. Em nota (leia abaixo), Küller retrata seus motivos para a saída do partido pelo qual foi candidato a prefeito em 2016, que lhe rendeu 27.465 votos (15,59% dos votos válidos), ficando na terceira colocação.

Casamento

Pelo que se sabe, Küller sai porque acabou o ‘casamento’ com o deputado federal Toninho Wandscheer, que é do Pros, mas que tem o comando do PMB no Paraná. Seu filho, Alisson Wandscheer, é o presidente estadual da sigla. A questão é que Alisson será candidato a deputado estadual, cargo que Küller também vai pleitear. Aliás, foi o primeira liderança de Ponta Grossa a lançar sua pré-candidatura à Assembleia Legislativa.

Salvaguardar

Com receio de fomentar a candidatura de Küller, depois de ver o desempenho do ex-vereador na candidatura a prefeito, Toninho Wandscheer, que é da região de Fazenda Rio Grande, deixou o ex-correligionário a ver navios. Não o nomeou para a sua equipe de mandato. Küller vislumbrava uma dobradinha com Toninho nos Campos Gerais, mas para salvaguardar a futura candidatura do filho, que concorreria diretamente com Küller, o deputado federal abandonou Küller. Fato que teria resultado na saída deste no partido.

Rede

Agora, Küller procura outro abrigo partidário para ser candidato a deputado estadual. Fala-se em Rede, PP e PMDB. Porém, são possibilidades difíceis. Vamos por partes. Na Rede, quem manda é o deputado federal Aliel Machado, que recebeu duras críticas de Küller na campanha para prefeito. Nesse caso, há mais um agravante, já que, segundo informações de bastidores, Aliel pode chegar a disputar a eleição para deputado estadual, se ver que o barco para a candidatura à reeleição não esteja seguro em 2018.

PP

No PP, que tem à frente Luiz Paulo Rover em Ponta Grossa, as portas podem não ser abertas em nível estadual. Ocorre que, depois das eleições de 2016, Küller virou um dos principais adversários do prefeito Marcelo Rangel (PPS), do qual o ex-vereador foi secretário de Assistência Social. E Rangel, juntamente com o irmão, deputado federal Sandro Alex (PSD), têm uma relação muito próxima do casal que detém o comando do PP no Paraná: o ministro Ricardo Barros e a vice-governadora Cida Borghetti.

PMDB

No PMDB, Küller pode ter espaço. Entretanto, vai elevar de forma considerável o número de votos que terá que obter para se eleger. A legenda do PMDB é cascuda, pois o partido conta com vários figurões, entre atuais e ex-deputados. Ai caberá a Küller avaliar se vai querer enfrentar tais figurões nas urnas em 2018.

Antes de estar no PMB, Küller estava no PSD e antes disso no PPS.

 

Confira a nota de Júlio Küller na íntegra:

Caros amigos e eleitores,

Ontem (13) deixei meu cargo de Secretário Estadual e Presidente Municipal, em Ponta Grossa, do Partido da Mulher Brasileira no Estado do Paraná (PMB/PR), melhor, deixei o partido. Tenho orgulho de ter feito parte da construção do PMB, principalmente, em Ponta Grossa e Região.

         A decisão foi amadurecida por muita reflexão. No entanto, o ambiente político exige maior capacidade de articulação política. Exige amplitude, exige multiplicidade de relações, para que se construam organizações políticas capazes de atrair todos aqueles que possam abraçar uma agenda comum em defesa do desenvolvimento soberano e sustentável e da superação das desigualdades.

Ao longo dos últimos 12 anos, procurei ser o melhor parlamentar que podia para servir dignamente aos pontagrossenses, Espero ter dado orgulho a cada eleitor que me honrou com seu voto, a quem peço que compreenda e respeite minha decisão, como respeito todos aqueles que escolhem ficar por entender que sua missão continua sendo essa.

Este é um movimento que ocorre em todo o país e sinto que tenho um papel a cumprir neste novo cenário. Faço isso pensando em Ponta Grossa, no meu querido Estado do Paraná e na melhoria da qualidade de vida do povo paranaense.

Tenho a certeza que honrei minha presença no PMB. Saio para fortalecer minhas convicções e não para abandoná-las.

Estou convicto que se a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, também só pode ser vivida, olhando-se para frente.

Um forte abraço,

Julio Francisco Schimanski Kuller

Confira outros Posts