Política

VCG pede aumento de 17,5% na tarifa do transporte em PG

A tarifa de ônibus em Ponta Grossa pode chegar aos R$ 3,76 em 2017, representando um aumento de 17,5% no valor da passagem. A revisão da planilha de custos feita pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), a partir da metodologia prevista em contrato, terminou com a sugestão de preço final de R$ 3,76. A informação foi confirmada pelo presidente do Conselho Municipal de Transporte (CMT), Helmiro Bobeck. O CMT irá discutir a situação em uma reunião marcada para o próximo dia 14 de fevereiro. As informações são do Portal aRede!

Segundo Bobeck, o custo foi calculado pela AMTT a partir de uma metodologia prevista no contrato firmado com a Viação Campos Gerais ainda em 2002. Em posse dos documentos apresentados pela VCG, os conselheiros deverão debater o aumento na próxima reunião – a decisão final pode sair já no dia 14 ou pode ser divulgada apenas após novos encontros. “Um conselheiro pode ter dúvidas e pedir mais tempo para analisar os documentos”, conta Helmiro.

Reajuste alto

O presidente do CMT informou que o aumento de 17,5% é encarado como “alto” e teria sido provocado, principalmente, pelos custos da renovação da frota da Viação e pelo valor do dissídio coletivo dos trabalhadores do transporte coletivo que já vem sendo pago pela empresa desde o final do ano passado. Em 2016, a VCG foi obrigada, por lei, a atualizar a frota de ônibus e atualmente todos os veículos acessíveis a pessoas com necessidades especiais – a atualização é considerada um dos principais aumentos na planilha.

O pedido de reajuste nos custos da VCG será analisado por representantes do CMT de várias áreas diferentes. Os conselheiros poderão pedir o assessoramento de profissionais especializados para tirarem dúvidas sobre o teor dos documentos. “O Conselho vai fazer uma análise técnica do pedido, caso algum integrante tenha dúvida, pode pedir um assessoramento técnico, essa é uma questão importante para a cidade”, conta Bobeck.

Reajuste terá que ser sancionado pelo prefeito

Aprovado pelo CMT, o pedido de reajuste da tarifa de ônibus terá que passar pela avaliação do prefeito Marcelo Rangel (PPS), ser sancionado pelo gestor e publicado em Diário Oficial para só depois entrar em vigor. Entre os fatores que encareceram o custo da planilha está o aumento na quilometragem do sistema do transporte publico diante da ampliação dos locais atendidos pela empresa, principalmente com a instalação de novos conjuntos habitacionais em locais distantes do centro.

CMT tem novos integrantes

A Prefeitura de Ponta Grossa (PMPG) publicou na edição dessa quarta-feira (01) a nova composição do Conselho Municipal de Transporte (CMT). O grupo é o responsável por avaliar o pedido de reajuste da tarifa de ônibus na cidade. Com o decreto 12.476, de 27 de janeiro, o CMT passa a ser composto por Celso Sant’Anna, Secretário de Planejamento do município, Gecy Martins, representante do Sindicato Patronal do setor, já Everton Maurício Soares será o representante da União das Associações de Moradores (UAMPG). Outro órgão que segue com representação no conselho é a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), representada por Roberto Mongruel.

O sindicato dos trabalhadores do setor terá como representante Márcio Luiz Rodrigues e a VCG será representada por Gelson Folin. Também tem representantes no CMT a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), a Associação dos Usuários do Transpor Coletivo, a subseção da OAB na cidade e a Associação dos Engenheiros e Arquitetos, a última representada por Helmiro Bobeck, presidente do CMT. Outro represente do Poder Público no Conselho é Roberto Pellissari, presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT).

Confira outros Posts