Política

Governador Beto Richa e ministros da Saúde e das Cidades abrem ciclo de palestras para prefeitos

Governador Beto Richa abre o Encontro de Prefeitas e Prefeitos Eleitos- Gestão 2017/2020. Foz do Iguaçu, 30/11/2016. Foto: Orlando Kissner/ANPr
Governador Beto Richa abre o Encontro de Prefeitas e Prefeitos Eleitos- Gestão 2017/2020 | Foto: Orlando Kissner/ANPr

A plateia estava lotada, com mais de 1200 prefeitos, vice-prefeitos, eleitos e reeleitos, gestores e agentes públicos que acompanharam as palestras proferidas pelo governador Beto Richa (PSDB) e pelos ministros da Saúde, Ricardo Barros, e das Cidades, Bruno Araújo, na abertura dos trabalhos do segundo dia do Encontro de Prefeitas e Prefeitos Eleitos que acontece até esta sexta-feira (2), na cidade de Foz do Iguaçu.

O governador destacou a presença e participação dos prefeitos no evento, reafirmando que o Palácio Iguaçu – sede do Governo em Curitiba – está de portas abertas para estreitar ainda mais essa relação. Richa disse que as medidas de austeridade adotadas pelo Governo nos últimos anos permitiram manter as contas em dia e que deve fazer investimentos na ordem de R$ 5 bilhões. “Os nossos investimentos estão em crescimento. O Paraná recompôs a sua capacidade e é o único estado brasileiro que elevou os investimentos em 2016, em comparação com o ano passado. Já são R$ 5 bilhões aplicados em obras, ações sociais e programas de Governo, incluídas aí nossas empresas estatais, que também orgulham o nosso estado”.

Richa apontou ainda o aumento do repasse dos impostos estaduais aos municípios, permitindo que os gestores municipais mantivessem as contas em ordem. “O sacrifício de hoje tem que ser compartilhado por todos, sem privilégios. Dentro desta avaliação, os paranaenses terão a sensibilidade de perceber que deve permanecer o interesse coletivo da população. Tenham a certeza que o Estado será conduzido com sensatez. Não quero que vocês saiam daqui alarmados diante da crise, contando os tostões e lamentando as dificuldades. Também temos boas notícias para cada um de vocês. Com todas as adversidades, o Estado manteve o fluxo de transferência aos municípios, o que foi fundamental para que algumas prefeituras pudessem honrar seus compromissos. Para se ter uma ideia, em 2016, o Estado já repassou R$ 6,8 bilhões aos municípios”.

Apoio

Os dois ministros fizeram um balanço do período que estão à frente de suas pastas e mostraram aos futuros gestores dos municípios os caminhos para que se possa buscar investimentos e recursos do Governo Federal.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, falou sobre a “Gestão Urbana: Desafios e Soluções para os Municípios”, e aconselhou aos gestores montarem uma boa equipe de trabalho, não pensando nas alianças partidárias, mas sim na execução de uma boa gestão.

“Aqueles que fizeram como fez o governador Beto Richa conseguiram passar o ano de forma diferenciada. Governar também significa tomar decisões difíceis no momento apropriado. Importante é que a partir desse momento, quando os senhores estão formando as suas equipes, e todos nós que disputamos eleições sabemos que o conjunto de apoiamento político é importante, o número de lideranças apoiando é importante, mas tudo isso é secundário se no momento da eleição, da decisão do eleitor, não tiver sido pensado no principal, que é a boa gestão. E é isso que esperam pelos senhores a partir de janeiro. Uma população ávida por resultados”.

O ministro relatou os programas que estão em execução pelo Ministério e os que serão apresentados no próximo ano. Destacou a retomada do Minha Casa Minha Vida para a faixa de um salário mínimo e meio, a contratação de 400 mil unidades nas faixas 2 e 3 do programa, o lançamento do Cartão Reforma – que em 2017 vai atender as famílias com renda familiar de até R$ 1.800,00, e a emissão de títulos de propriedade no Brasil.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, elencou as duas prioridades na gestão à frente do Ministério. Segundo ele, a informatização do sistema e a promoção da saúde e prevenção de doenças são essenciais para o bom funcionamento da pasta. “Com a informatização teremos planejamento e gestão e condições de saber o que os prefeitos estão fazendo na área da saúde e mostrar aos demais”.

Ele destacou que nos primeiros cem dias de gestão foram economizados mais de R$ 1 bilhão do Ministério, somente com a revisão de contratos e a troca da modalidade de compra de alguns itens. Esse valor foi investido no atendimento da população, com a habilitação de 99 novas UPAs, aumento na prestação de serviço das entidades filantrópicas e aquisição de mais medicamentos.

Por fim, apresentou aos prefeitos os caminhos para os cadastros necessários junto ao Ministério para a liberação de recursos para o custeio das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e outros programas que envolvem o Ministério.

Governador Beto Richa abre o Encontro de Prefeitas e Prefeitos Eleitos- Gestão 2017/2020. Na foto, o governador e a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa. Foz do Iguaçu, 30/11/2016. Foto: Arnaldo Alves/ANPr
Beto e Fernanda Richa durante o encontro em Foz | Foto: Arnaldo Alves/ANPr

Integração

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Ademar Traiano (PSDB), voltou a reafirmar a importância do evento para estreitar os laços com os prefeitos e fazer a ponte, através dos deputados estaduais, entre os gestores municipais e o Governo do Estado.

“Esse evento marca o início de uma nova administração com o objetivo de oferecer a esses gestores oportunidades em termos de palestras, conhecimento e programas de Governo para que os gestores possam implementar medidas administrativas dentro de um novo conceito de administração, mais moderna e, principalmente, em consonância com o sentimento das ruas. Esse é o objetivo da Assembleia de estar presente, para que possamos fazer a integração entre parlamentares e prefeitos”, disse.

Traiano destacou a manifestação do ministro das Cidades, que durante sua palestra registrou por inúmeras vezes a boa condição financeira e de organização que o Paraná experimenta, além da boa convivência mantida entre os Poderes Executivo e Legislativo estadual, e destes com os municípios. “O ministro reiteradas vezes, e não só publicamente, disse com muita ênfase que ficava orgulhoso de ver essa perfeita integração entre Governo, Assembleia e prefeitos. Há uma integração total, o Paraná é um estado diferenciado em relação aos demais estados da federação. (O ministro) Saiu daqui feliz e convicto de que tem que investir no Paraná, porque aqui as coisas realmente acontecem”.

Porta de entrada

No período da tarde, o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, apresentou aos prefeitos a forma como eles terão que trabalhar para obter os recursos do Governo. Segundo Rossoni, a porta de entrada do Executivo será via Casa Civil. “A porta de chegada do Governo para as reivindicações será pela Casa Civil, com o prefeito acompanhado do seu deputado estadual. A partir desta reunião iremos marcar uma data para uma reunião com o governador, que irá dizer se terá como atender ou não a solicitação”, disse.

Rossoni disse que os prefeitos têm até o dia 10 de janeiro para indicar o seu representante no Legislativo, com a opção de indicar até dois deputados estaduais. Ele frisou que a presença dos deputados é necessária, pois se hoje o Executivo tem condições de fazer esses investimentos no Paraná, isso é graças ao empenho dos parlamentares em aprovar medidas de austeridade propostas pelo Executivo.

Nesta sexta-feira (2), às 14 horas, informou Rossoni, o governador Beto Richa vai apresentar aos futuros gestores municipais os valores que estarão disponíveis em cada um dos programas de Governo para atender as prefeituras, seja por empréstimo ou a fundo perdido. “Sabemos que vocês assumem em um momento de dificuldade e que será preciso ter coragem, pois o povo quer um prefeito determinado. Mas estamos preparados para as parcerias com vocês, prefeitos”, concluiu Rossoni. (Fonte: Alep)

Confira outros Posts