Política

Paraná inicia campanha inédita de vacinação contra a dengue

Governador em exerc’cio, Deputado Ademar Traiano, acompanhado pelo secret‡rio da saœde, Michele Caputo Neto, deputado Luciano Ducci e demais autoridades, participa da abertura da campanha de combate a dengue. Maring‡, 13/08/2016 Foto: Orlando Kissner / ANPr
Governador em exercício, deputado estadual Ademar Traiano, acompanhado pelo secretá‡rio da saúde, Michele Caputo Neto, deputado federal Luciano Ducci e demais autoridades, participa da abertura da campanha de combate a dengue | Foto: Orlando Kissner / ANPr

O governador em exercício Ademar Traiano e o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, acompanharam no último sábado (13) o início da primeira campanha pública de vacinação contra a dengue das Américas. Nesta primeira etapa, a expectativa é imunizar cerca de 500 mil pessoas com a primeira dose da vacina. O objetivo é proteger a população de 30 municípios prioritários, que registraram as piores epidemias da doença nos últimos cinco anos.

De acordo Traiano, a iniciativa pioneira do Paraná coloca o Estado na vanguarda da saúde pública mundial. “Graças à coragem e sensibilidade do governador Beto Richa, o Paraná sai na frente e oferta de forma gratuita uma vacina contra a dengue à população. Trata-se de uma ação que contribuirá para que inúmeras vidas sejam salvas”, ressaltou Traiano, durante o lançamento do “Dia D” de vacinação em Maringá.

Segundo no mundo

Com a campanha, o Estado também se torna o segundo local do mundo aplicar a vacina contra a dengue na rede pública de saúde. O primeiro foi as Filipinas, em fevereiro deste ano, com a imunização de crianças. “Isso mostra que a política de saúde é levada a sério pelo Paraná. Investir em vacinas significa pensar em prevenção e qualidade de vida”, declarou o governador em exercício, lembrando que somente na aquisição desta primeira dose o Estado investiu cerca de R$ 50 milhões.

Impacto

Estudos epidemiológicos da empresa produtora da vacina, a Sanofi Pasteur, apontam que, em cinco anos, a vacinação em massa pode reduzir em até 74% o número de casos de dengue nas cidades contempladas. Estima-se ainda que a medida diminua em 80% o número de hospitalizações e em 93% o número de casos graves da doença.

O secretário Caputo Neto, explica que a decisão de vacinar os paranaenses reforça a estratégia de controle da doença no Estado. “O enfrentamento à dengue é uma guerra e a vacina é mais uma arma que estamos disponibilizando para esta luta. É importante que as pessoas que estão nos grupos prioritários sejam imunizadas, mas também não podemos nos esquecer de cuidar do nosso lixo doméstico e evitar que o mosquito se prolifere”, destacou.

Casos

Somente entre agosto de 2015 e julho de 2016, aproximadamente 56 mil casos e 61 mortes foram registradas por dengue no Paraná. Os 30 municípios da campanha, juntos, concentraram 80% das ocorrências, além de 93% dos casos graves e 82% das mortes. “As estatísticas demonstram que era preciso fazer algo a mais para o controle da dengue no Estado. Por isso, não medimos esforços para implantar esta nova estratégia, que com certeza será modelo para o país e para o mundo”, enfatizou Caputo Neto.

A Secretaria de Estado da Saúde alerta que a vacina é uma nova ferramenta para o combate à dengue, mas a população não deve deixar de fazer a sua parte e eliminar os criadouros do mosquito. O Aedes aegypti também transmite doenças graves que não são protegidas pela vacina, como a zika e a febre chikungunya.

Governador em exerc’cio, Deputado Ademar Traiano, acompanhado pelo secret‡rio da saœde, Michele Caputo Neto, deputado Luciano Ducci e demais autoridades, participa da abertura da campanha de combate a dengue. Maring‡, 13/08/2016 Foto: Orlando Kissner / ANPr
Ademar Traiano, presidente da Alep e governador em exercício, participou do início da campanha de vacinação contra a dengue | Foto: Orlando Kissner / ANPr

Campanha

Iniciada simultaneamente em 30 municípios no sábado, a campanha segue até 3 de setembro em 164 unidades de saúde. Em Assaí e Paranaguá, as doses estão disponíveis aos moradores com idade entre 9 e 44 anos, 11 meses e 29 dias. Já nas demais 28 cidades, a vacina será aplicada em pessoas na faixa etária entre 15 e 27 anos, 11 meses e 29 dias.

No momento da vacinação é preciso apresentar documento pessoal de identificação com foto e comprovante de residência. Quem já fez o pré-cadastro pela internet também necessita levar os documentos para comprovar as informações registradas no sistema.

Balanço

Até o meio-dia deste sábado, Dia D da campanha, cerca de 5 mil paranaenses já haviam sido imunizados contra a dengue. A meta é atingir, ao final da mobilização, pelo menos 80% do público-alvo, estimado em 500 mil pessoas. A boa cobertura vacinal é essencial para a efetividade da estratégia de imunização, já que quanto mais pessoas vacinadas, menor será a circulação viral da doença.

Um dos primeiros maringaenses a serem imunizados contra a dengue neste sábado foi o atleta Arthur Diego Mariano Lanci, campeão mundial sub-19 de vôlei de praia. Com 20 anos, Arthur faz parte do grupo prioritário da campanha e inclusive já tinha contraído dengue em Maringá.

“Nós atletas temos que dar o exemplo e por isso vim aqui para tomar a vacina e convocar as pessoas que têm direito. Todos que já pegaram dengue sabem o quanto ela é perigosa. Eu mesmo fiquei de cama e espero nunca mais passar por uma situação como aquela”, revelou.

Segurança

De acordo com o diretor geral da Sanofi Pasteur no Brasil, Hubert Guarino, a vacina é segura e protege contra os quatro tipos de vírus circulantes da dengue no País. “Foram mais de 20 anos de estudos para se chegar a esta vacina, que tem eficácia global de 66%. Hoje podemos finalmente dizer que a dengue entra no rol de doenças preveníveis”, afirmou ele, que também destacou o pioneirismo do Paraná em garantir o acesso da população a inovações tecnológicas na área da saúde.

Presenças

Também participaram da solenidade que marcou o início da campanha em Maringá o deputado federal, Luciano Ducci; os deputados estaduais Plauto Miró e Bernardo Ribas Carli; o secretário executivo do Ministério da Saúde, Antônio Carlos Nardi; o secretário estadual do Planejamento, Cyllêneo Pessoa Pereira Júnior; o coordenador da Região Metropolitana de Maringá, João Carvalho; o chefe da 15 ª Regional de Saúde, Jales Cardoso; e o secretário municipal de Saúde de Maringá, Ênio Molina. (Fonte: ANPr)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail, website ou empresa não serão publicados.

Confira outros Posts