Política

Mais 404 famílias de Ponta Grossa recebem as chaves da casa própria

Governador Beto Richa e o ministro das Cidades Bruno Araújo, inauguram o residencial Buenos Aires, e entregam as chaves da casa própria para 404 famílias, em ponta Grossa. Participaram do evento, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o superintendente da Caixa para a região Sul, Élcio Lara; o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion; o presidente da Fomento Paraná,Juraci Barbosa; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa, Douglas Fanchin Taques Fonseca; o deputado federal Sandro Alex e o deputado estadual Plauto Miró e o presidente da Agepar, Cezar Silvestre. Ponta Grossa, 10/08/2016. Foto: Guilherme Santos / Cohapar’
Governador Beto Richa e o ministro das Cidades Bruno Araújo, inauguram o residencial Buenos Aires, e entregam as chaves da casa própria para 404 famílias, em ponta Grossa |
Foto: Guilherme Santos / Cohapar’

Mais 404 famílias de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, estão morando em casa nova, própria. Elas têm renda mensal de até R$ 1.600 e, graças aos subsídios do poder público, pagarão parcelas de financiamento que vão de R$ 25 a R$ 80 ao mês, durante 10 anos. Nesta quarta-feira (10), o governador Beto Richa e o ministro das Cidades, Bruno Araújo, foram ao município para inaugurar o residencial Buenos Aires e entregar as chaves da casa própria para as famílias.

O superintendente da Caixa para a região Sul, Élcio Lara, também participou da solenidade, que teve a presença das famílias e de lideranças da cidade. O empreendimento teve investimentos de R$ 27 milhões em recursos do Governo do Paraná, Governo Federal e município, em um trabalho integrado dentro dos programas Minha Casa Minha Vida e Morar Bem Paraná. Os imóveis possuem 41 metros quadrados, com sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço. Treze moradias são adaptadas para pessoas com deficiência.

Mais de 4,6 mil famílias desde 2011

Beto Richa disse que a habitação é mais uma área em que Ponta Grossa é muito beneficiada. De 2011 para cá foram atendidas mais de 4.600 famílias do Município. “Já estivemos aqui inúmeras vezes inaugurando muitas unidades habitacionais. São ações como este que justificam o mandato, porque têm impacto direto na vida das pessoas e materializam um sonho aguardado a vida inteira”, disse Richa.

“O Paraná hoje é o Estado que, proporcionalmente, tem a maior parceria, com a Caixa. Isso graças ao bom planejamento e a atuação da equipe da nossa Cohapar”, disse Richa. “Trago a experiência como prefeito de Curitiba para entender o quanto é importante uma moradia decente para as famílias, para uma vida mais digna”, afirmou.

O ministro Bruno Araújo também destacou a boa parceria com o governo paranaense e disse que o ministério está retomando a construção de 51 mil unidades habitacionais que estavam paradas. “Implantamos uma relação de credibilidade pagamos em dia todas as construtoras que prestam serviço ao Ministério das Cidades”, explicou. Ele fez um balanço dos 70 dias no cargo e afirmou que estão em execução 500 mil unidades no país. “Além de entregar o sonho da casa própria, o Minha Casa Minha Vida possibilita a geração de milhares de empregos”, afirmou.

Governador Beto Richa e o ministro das Cidades Bruno Araújo, inauguram o residencial Buenos Aires, e entregam as chaves da casa própria para 404 famílias, em ponta Grossa. Participaram do evento, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o superintendente da Caixa para a região Sul, Élcio Lara; o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion; o presidente da Fomento Paraná,Juraci Barbosa; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa, Douglas Fanchin Taques Fonseca; o deputado federal Sandro Alex e o deputado estadual Plauto Miró e o presidente da Agepar, Cezar Silvestre. Ponta Grossa, 10/08/2016. Foto: Guilherme Santos / Cohapar’
Foto: Guilherme Santos / Cohapar’

Visita

O governador e o ministro Bruno Asraújo visitaram a casa de Lúcia Aparecida do Espírito Santo. Ela mora com dois filhos pequenos na nova casa. “Estou muito feliz por ter minha casa própria. Eu morava de favor em um quarto de madeira que até entrava água”, contou ela. “Agora poderei criar meus filhos numa casa boa”, disse Lúcia. A residência fica em frente à escola e próxima do posto de saúde. “Isso é muito bom, tem tudo perto de casa. É bem mais seguro para meus filhos irem para escola”, afirmou.

Aportes

Para viabilizar as obras, o Governo do Paraná realizou um aporte de R$ 3 mil por casa. O trabalho integrado envolveu, ainda, a assessoria técnica da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e a parceria da Copel e Sanepar na instalação dos sistemas de abastecimento de água e energia elétrica. A participação do governo Federal consistiu no financiamento dos recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) pelo Banco do Brasil. A prefeitura realizou investimentos de infraestrutura, de R$ 750 mil, além do repasse do terreno.

O presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, disse que, de 2011 a 2016, os investimentos em habitação em Ponta Grossa somam R$ 264 milhões em benefício de 4.365 famílias. “No Estado, chegamos a R$ 3,7 bilhões, com 105 mil famílias atendidas”, explicou. Ele também ressaltou o trabalho conjunto para viabilização dos projetos. “Isso é fundamental para dar respostas às pessoas em uma demanda que é essencial para a qualidade de vida”, disse ele.

Governador Beto Richa e o ministro das Cidades Bruno Araújo, inauguram o residencial Buenos Aires, e entregam as chaves da casa própria para 404 famílias, em ponta Grossa. Participaram do evento, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o superintendente da Caixa para a região Sul, Élcio Lara; o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion; o presidente da Fomento Paraná,Juraci Barbosa; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa, Douglas Fanchin Taques Fonseca; o deputado federal Sandro Alex e o deputado estadual Plauto Miró e o presidente da Agepar, Cezar Silvestre. Ponta Grossa, 10/08/2016. Foto: Guilherme Santos / Cohapar’
O governador Beto Richa com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, e os deputados Plauto Miró e Sandro Alex | Foto: Guilherme Santos / Cohapar’

Desenvolvimento

O governador afirmou que há motivo de sobra para ir com frequência a Ponta Grossa. “A região é uma das que mais se beneficiou com a nossa política de industrialização, com a atração de empresas nacionais e internacionais”, disse Richa, mencionando a Heinekin, a Ambev, a Águia sistemas e a Klabin (em Ortigueira). Também foi inaugurada a modernização do aeroporto de Ponta Grossa e o anúncio da operação da empresa área Azul. “Tudo isso demonstra o bom momento do Estado, o ambiente propicio e favorável que criamos para quem quer investir com segurança e tranquilidade no Parana”, disse ela.

Presenças

Participaram da inauguração a secretária do Trabalho e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o presidente da Fomento Paraná,Juraci Barbosa; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa, Douglas Fanchin Taques Fonseca; o deputado federal Sandro Alex e o deputado estadual Plauto Miró e o presidente da Agepar, Cezar Silvestre.

Famílias comemoram e fazem plano para o futuro

Teresinha do Rocio Alves, de 46 anos, até agora dividia a pequena casa de madeira de dois quartos com cinco filhos e uma neta. “É uma situação complicada, falta conforto, falta privacidade, mas a gente não tinha opção”, disse. A filha de Teresinha, Jociele Ribeiro, também foi contemplada. Ela contou que a renda da família, fruto do trabalho informal dos irmãos, nunca foi suficiente para adquirir uma propriedade. “A gente ganha uma média de R$ 800 por mês, às vezes nem isso, e o aluguel mais barato aqui na região custa uns R$ 300”. Com as chaves da casa nova nas mãos, elas fazem planos para o futuro. “Daqui pra frente vai melhorar bastante”, comenta Jociele. “Queremos mudar hoje mesmo”, afirmou Teresinha.

Mesmo para quem tem condições de pagar aluguel, como o caso da diarista Elza Martins, 49, a sensação é de alívio pela mudança. “Desde que eu soube que ia ser feita a entrega eu já comecei a encaixotar tudo”, disse Elza. “Atualmente eu pago R$ 300 de aluguel, mas daqui pra frente eu vou pagar só R$ 51 por mês por aquilo que é meu”.

Questão de saúde

Para alguns, como o caso da aposentada Maria Clara Ferreira, a casa nova é uma questão de saúde. Com dificuldades de locomoção causadas por uma artrose no quadril, Maria passava praticamente o dia inteiro dentro de um barraco de madeira ao lado de uma canaleta de esgoto aberta. “Tá bem perigoso aqui, porque as paredes estão soltas e a casa só não caiu porque Deus teve misericórdia”, relata. “Ainda bem que esse sofrimento acabou. Só quero viver tranquila daqui pra frente”, finaliza Maria. (Fonte: Agência Estadual)

Confira outros Posts