Política

Rangel se reúne com ministro e reivindica repasses atrasados da União para saúde de PG

Rangel Marcus Ricardo Barros
O prefeito Marcelo Rangel e o secretário Marcus Freitas durante visita ao ministro da Saúde, Ricardo Barros | Foto: Divulgação

Na tarde desta quarta-feira (18), o prefeito Marcelo Rangel (PPS) e o secretário de Governo, Marcus Freitas, reuniram-se com o novo ministro de Saúde, Ricardo Barros, para discutir sobre pendências nos repasses federais à Secretaria Municipal de Saúde.

“Precisamos juntos encontrar caminhos para resolver essa situação. A reforma de pelo menos nove Unidades Básicas de Saúde pode ser comprometida devido ao corte de repasses federais. Mais de R$ 1 milhão, que correspondem a 80% do pagamento dessas obras, ainda não foram entregues.”, comenta Rangel.

Impacto

Há poucas semanas, o prefeito se reuniu com todo o secretariado para traçar de ações na tentativa de minimizar o impacto causado pela crise política e econômica. “O Município está fazendo todo o possível para manter a qualidade dos serviços de atendimento à saúde, mas necessitamos que o Governo Federal dê continuidade ao que foi firmado anteriormente. Não podemos deixar a população descoberta pelo não cumprimento do que já foi pactuado”, argumenta o prefeito.

Déficit com a UPA

Além destas pendências, o atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24H do Núcleo Santa Paula é mantido por meio do pagamento mensal com recursos municipais e federais. Em entrevista ao programa Doc.com, da TV Educativa de Ponta Grossa, na semana passada, o secretário de Governo, Marcus Freitas, expôs que o custo mensal para o funcionamento da UPA é de R$ 1.150.000,00, sendo que R$ 1 milhão sai do caixa da Prefeitura e R$ 150 mil vem da União.

Porém, segundo ele, desde 2014 os repasses federais não são feitos, o que já soma um déficit de R$ 2,6 milhões. “Para não comprometer o atendimento na UPA, o Governo Municipal faz o remanejamento de recursos de outras áreas para cobrir o saldo pendente. o que interfere no orçamento municipal”, revelou Freitas na entrevista.

Ministro se comprometeu

Ricardo Barros se colocou à disposição de Ponta Grossa e se comprometeu em fazer o levantamento das pendências financeiras do Governo Federal com a cidade, e também em dar agilidade para liberar os repasses dos recursos. (Com assessoria)

Confira outros Posts