Política

Rangel e pré-candidatos a vereador afirmam que ficam no PPS mesmo sob pressão da Executiva Estadual

Marcelo Rangel 2O prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, afirmou no início da noite desta terça-feira (29) que vai continuar filiado no PPS, partido pelo qual se elegeu duas vezes deputado estadual e também para a Prefeitura Municipal em 2012. Além do alcaide, os filiados do partido que são pré-candidatos a vereador também vão permanecer na legenda. A decisão foi tomada em conjunto durante reunião realizada no final da tarde desta terça, entre Rangel e os correligionários pepessistas.

Retaliação

A decisão ocorre depois de comentários de que a Executiva Estadual do PPS teria a intenção de dissolver o Diretório Municipal, em retaliação à desfiliação do deputado federal Sandro Alex, que deixou a sigla dentro da janela de transferência partidária, que encerrou no último dia 18 deste mês, e ainda não definiu um novo partido para se filiar.

“Temos um Diretório sólido, com uma chapa completa de candidatos a vereador. Temos o prefeito de Ponta Grossa, uma história de anos no partido e decidimos continuar no PPS, mesmo com boatos de que possa haver interferência estadual”, declarou Rangel. Ele ressaltou ainda que o PPS é democrático e que tudo o que envolve candidatura será decidido durante a convenção do partido.

Leopoldo Cunha NetoSem notificação

O presidente do PPS municipal, Leopoldo Cunha Neto, disse que não recebeu nenhuma notificação ou qualquer tipo de contato da Executiva Estadual sobre interferência no Diretório Municipal. Leopoldo ressalta que o Diretório foi eleito até 2017 sob sua gestão e que não vê motivo para uma intervenção estadual.

“Não recebi nada da Executiva Estadual, mas pelo que ficamos sabendo, existe uma insatisfação com a saída do deputado Sandro Alex. Porém, essa é uma questão pessoal dele, que saiu dentro da lei, através da janela de transferência partidária. Não podemos ser punidos por algo que foge do nosso alcance”, declarou Leopoldo.

Representatividade

Leopoldo enfatizou ainda que tem 15 anos de PPS e que, juntamente com Marcelo Rangel e Sandro Alex, ajudaram a fazer crescer a representatividade do partido em nível municipal, regional, estadual e nacional. Ele lembrou ainda que a maior cidade governada no país por um integrante do PPS é Ponta Grossa.

“Vamos defender a legitimidade do nosso partido até o fim, de todas as formas, pois entendemos que estamos fazendo um excelente trabalho e não podemos ser punidos. Nem que pra isso tenhamos que acionar a esfera judicial”, comentou Leopoldo. Entretanto, ele disse que espera que a direção estadual repense a situação e não interfira no Diretório de Ponta Grossa.

Confira outros Posts